AULAS DE GÊNESIS ATÉ CANTARES DE SALOMÃO POSTADAS ABAIXO

IV CIENTE AGORA NO CENTRO DE CONVENÇÕES HOTEL PRESIDENTE, INSCREVA-SE: 34-8855-6892

segunda-feira, 31 de maio de 2010

A Pedra - Autoria desconhecida


O distraído nela tropeçou...O bruto a usou como projétil.O empreendedor, usando-a, construiu.O camponês, cansado da lida, dela fez assento.Para meninos, foi brinquedo.Drummond a poetizou.Já, Davi, matou Golias, e Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura...E em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no homem!Não existe "pedra" no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento, independente do tamanho das pedras, no decorrer de sua vida.

Não existirá uma que você não possa aproveitá-la para seu crescimento espiritual.
Quanto à sua pedra atual, tenho certeza que Deus irá te dar sabedoria, para mais tarde você olhar para ela, e ter orgulho da maravilhosa experiência que causou em sua vida, no seu crescimento espiritual.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Depois de uma fortuna, possa ser que venha uma desgraça. M.M.C


Eu estive pensando sobre esta frase e me veio a mente Sansão e Pródigo, ambos afortunados e enveterados fanfarrões até o ultimo centavo gasto, ou até os olhos cegos e própias mãos que empurram pilastras sobre si. De observar posso vê-los de longe como quem apenas esta assitindo (se é que isso é possível) e veja, lá esta, os musculos algemados a duas fortes cadeias, os belos cachos, apenas na lembrança pois a atual cabeça raspada é amuleto para lembrar-lhe a vergonha, olha contracenando esta o filho, não é qualquer filho, se não o Pródigo em pessoa, quase nú, faminto ao ponto de esbofetear o rebanho que pastoreava que aliás, era asqueroso, por que isso aconteceu, por que ambos assim pediram isto.
Sansão pediu casar com uma filisteia conforme escrito em Juizes 14:2 e o pródigo o direito de gastar a sua fortuna, conforme Lucas 15:12. E pediram se soubessem obviamente que não, e por que pediram, vocês já sabem a resposta. Por não saber o que pediam.
Talvez esteja tinindo em seu coração: é por que pedimos mal, sim estão certos, mas falaremos disto em um outra oportunidade.

SERMÃO EXPOSITIVO-AOS OLHOS DO MUNDO


DIA 02/06/2010 ÀS 19h00 no Auditório Tostes na Sede da Assembleia de Deus-Missão

terça-feira, 25 de maio de 2010

"(...) não temais a vida! Ela é tão bela quando se praticam o bem e a verdade! (...)"


"Todos somos responsáveis de tudo, perante todos." Fiodor Dostoievski


Este é o objetivo literário deste mês: Os irmãos Karamazov


Rússia, século XIX. Um palco de intensos debates e conflitos sociais. O niilismo e o ateísmo são os principais elementos responsáveis pela degeneração familiar dos Karamazov, culminando na tragédia de um parricídio. O crime ocorrera há trinta anos. A vítima do crime, Fiódor Pávlovitch Karamazov, conhecido como "fazendeiro", apesar de mal freqüentar a propriedade. Um burguês mau, devasso, egoísta e pobre de espírito, que fora casado duas vezes e tivera três filhos: Dmítri Fiódorovich Karamazov, da primeira esposa, e Ivã Karamazov e Alieksiéi Karamazov, da segunda. Além da suspeita de um quarto filho, Smierdiákov, um criado imbecil que sofria de epilepsia, mas que não era tão imbecil, já que conhecia o esconderijo na casa, onde o velho Karamazov guardava o dinheiro.
Alieksiéi Karamazov, o filho mais jovem, deixou em dado momento o noviciado nas atividades monásticas, aconselhado por seu mestre espiritual, Zósima, para "voltar ao mundo" e, depois, decidir que caminho seguiria. Jovem, equilibrado e justo, agiu como o fiel da balança da família, apaziguando os ânimos e animando os irmãos, que viviam à beira da autodestruição. Seu irmão, Ivã Karamazov, era o mais viajado e inteligente, o niilista que exercia influência controladora sobre as pessoas, especialmente sobre o criado Smierdiákov. Irônico, corrosivo, era um debatedor de problemas sociais e religião, o autor da célebre frase: "(...) Se Deus não existe, então tudo é permitido (...)". Um imoral que tinha seus mistérios e vivia às expensas do pai, sem manter bom relacionamento com ele. Por sua vez, Dmitri Fiódorovich Karamazov, ou apenas Mítia, o meio-irmão, é instável, confuso, ora pende à bondade, ora à maldade. Perdulário, é o principal suspeito da morte do pai, justamente por disputar com ele o amor de uma mulher, além de também passar por problemas financeiros. É acusado, preso e julgado por um júri popular, que o considera culpado pelo crime de morte premeditada para roubar. Sabidamente, o culpaldo era Ivã, que tivera a idéia e instigara Smierdiákov a pô-la em prática, mas Smierdiákov estava morto e tudo conspirava contra Mítia.
Cobiça, exploração, deslealdade e mentira, são outros temas do enredo desse romance monumental, onde a intensa carga psicológica constitui não apenas o retrato de uma época conflitante, mas o retrato de várias épocas. Um romance atemporal, onde atos de maldade ecoam junto a atos de bondade.
Ao final, num discurso num velório, Alieksiéi Karamazov, o quase-monge diz: "(...) não temais a vida! Ela é tão bela quando se praticam o bem e a verdade! (...)"

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Os tucanos acreditam que Aécio seria um importante cabo eleitoral para Serra


Aliados do PSDB na corrida ao Planalto, o DEM e o PPS têm expectativa de que o ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves abra mão de sua candidatura ao Senado para integrar como vice a chapa do presidenciável tucano, José Serra. Nesta segunda-feira (24), o presidente do Democrata, deputado Rodrigo Maia (RJ), reforçou que o político mineiro é o "único nome para o cargo que gera unidade entre os partidos da oposição". No entanto, o parlamentar carioca nega que esteja fazendo qualquer tipo de pressão nesse sentido. Aécio retorna nesta segunda de viagem à Europa.
Em evento nesta sexta-feira (21), antes de ser divulgada a terceira pesquisa apontando crescimento da petista Dilma Rousseff na corrida ao Planalto, o presidente do PPS, Roberto Freire, disse ao Terra que está "torcendo" por chapa com Serra e Aécio na corrida ao Planalto. "Estou torcendo, mas não quero me decepcionar", disse. Acrescentou ainda que prefere não nutrir muitas expectativas para evitar frustrações.
Rodrigo Maia ainda nega que seu partido esteja fazendo pressão pela chapa com os ex-governadores de São paulo e Minas, embora seja enfático ao expor o posicionamento do DEM: "Aécio é consenso. Não faremos nenhum tipo de pressão apenas a nossa posição", ponderou.
Segundo a última pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (22), a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, subiu sete pontos nas intenções de voto e empatou com Serra com o percentual de 37%. Na divulgada dia 17 pelo instituto Sensus, a petista apareceu com 35,7% contra 33,2% do tucano. E no levantamento divulgado dia 15 pelo Vox Populi, Dilma tem 38% das intenções de voto e Serra, 35%.
Os tucanos acreditam que Aécio seria um importante cabo eleitoral para Serra, que perdeu espaço para a petista nas últimas pesquisas. "Com a experiência que tem, ele vai analisar as pesquisas e tomará a decisão que for melhor também para seu Estado", disse o presidente do DEM. O sucessor de Aécio em Minas Gerais, governador Antonio Anastasia, aparece com 17% dos votos na Vox Populi, perdendo para o senador Hélio Costa, que tem 45% das intenções.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Bomba - Eis o "poder da mundial"


Com promessas de cura e até de ressurreição, o apóstolo Valdemiro Santiago transformou sua Igreja Mundial num novo império evangélico.
Ainda que a cúpula da Mundial mantenha segredo sobre a movimentação financeira da igreja, todos concordam que o gasto mais relevante é com mídia. Um membro da cúpula afirmou que o desembolso total nessa rubrica está em torno de R$ 13 milhões por mês. “No Canal 21, o apóstolo deve estar pagando uns R$ 7 milhões, daí para mais. Na Rede TV! foi renovado por R$ 1,9 milhão. E na CNT uns R$ 800 mil”, diz o assessor Jorge Lisboa sobre os três principais contratos. Para filmar eventos externos, a Mundial contratou a produtora de TV Casablanca, a maior do setor no Brasil.

ESTELIONATO ELEITORAL NO PARANÁ:

A nova ambição de Valdemiro é política. Seguindo a tendência de outras igrejas, ele quer criar sua própria bancada em Brasília e eleger um representante seu em cada Assembleia Legislativa do país. “A estratégia do apóstolo é lançar só um federal e um estadual por Estado. É para não ter competição interna”, diz Irio Rosa, escalado para ser candidato a deputado estadual no Paraná pelo nanico PSC (Partido Social Cristão). A legenda, cujos maiores expoentes são o senador Mão Santa (PI) e o ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz, deverá lançar a maioria dos candidatos da Mundial. Rosa, exibido constantemente na TV da Mundial, admite que mal conhece o Paraná.“Eu queria sair candidato por Brasília, mas o apóstolo não deixou. Então, faz um ano que estou morando em Curitiba”, diz.

Um dos colaboradores mais importantes de Valdemiro fará dobradinha com Rosa no Paraná. É o executivo Ricardo Arruda Nunes, ex-presidente do desativado Banco de Crédito Metropolitano, conhecido como o banco da Igreja Universal. Nunes diz ser hoje responsável pela “estratégia financeira” da Mundial. Ele já foi investigado pela Polícia Federal e pela Procuradoria da República por suas supostas relações com empresas-fantasmas que teriam sido criadas pela Universal para lavar dinheiro. Agora, prestador de serviços para a Mundial, frequenta os cultos de Valdemiro todo domingo.
PODER Valdemiro com o prefeito Luiz Marinho (à esq.) e o senador Mercadante, que representaram Lula em São Bernardo.
Em janeiro, Valdemiro Santiago quase recebeu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em seu altar. A ocasião era um culto no Paço Municipal de São Bernardo do Campo, com público estimado em 50 mil pessoas. Lula chegou a confirmar presença, mas não apareceu, porque teve uma crise de hipertensão. Para representá-lo, compareceram dois petistas: o prefeito Luiz Marinho e o senador Aloizio Mercadante. “Eu não conhecia Valdemiro”, disse Mercadante. “É mesmo impressionante. Ele prega de forma muito direta, autêntica e popular. Lembra as manifestações que a gente fazia aqui neste mesmo lugar com os trabalhadores, um movimento forte, espontâneo e que incomoda as elites.” Mercadante prometeu articular um encontro de Valdemiro com Lula. Até a semana passada, nenhuma reunião tinha sido agendada.

Valdemiro procura cultivar contatos com políticos de diversas tendências. Mantém boas relações com o tucano Marconi Perillo, senador por Goiás, e com Ivo Cassol (PP), governador de Rondônia. “Imagine uma pessoa íntegra, boa, verdadeira. É ele, Valdemiro. Ele faz coisas que só Deus pode fazer”, diz Cassol.Caramba na minha opnião o Ivo Cassol a muito tempo não houve Deus!
Ele costuma recebê-lo em sua fazenda, em Rondônia, para pescar. Entre os políticos de destaque, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), é o único com quem Valdemiro tem relacionamento dúbio. Em 2008, Valdemiro pediu votos para Kassab. No ano passado, quando a sede da Mundial no Brás, centro de São Paulo, foi lacrada por falta de segurança e excesso de barulho, Kassab passou a ser tratado como inimigo.
A sede do Brás é um galpão enorme e antigo, que funcionava como fábrica da família Matarazzo. Ocupa uma área de 43.000 metros quadrados e foi comprado pela igreja por R$ 60 milhões em 60 parcelas. O embargo ocorreu porque o imóvel tinha fiação exposta, piso e teto comprometidos e não contava com saídas de emergência, além de produzir muito barulho. Enquanto providenciava reformas, Valdemiro dizia que o fechamento era uma “perseguição dos poderosos à obra de Deus”. Várias vezes ameaçou retaliar Kassab nas urnas. A sede, que ficou 53 dias lacrada, é a principal fonte de renda da Mundial. “O fechamento da nossa igreja provocou um prejuízo de milhões e milhões de reais”, disse Valdemiro num culto em fevereiro, enquanto pedia mais ofertas aos seguidores.

De todos os assuntos relacionados à vida de Valdemiro, um dos mais polêmicos e misteriosos é sua saída da Universal. Valdemiro é o único dissidente de Edir Macedo que prosperou criando sua própria igreja. Depois de ocupar posições de destaque em São Paulo, Paraíba, Pernambuco e em Moçambique, Valdemiro rompeu com a Universal em 1997. Sua importância pode ser medida pelas participações societárias que acumulou. No último ano de Universal, tinha em seu nome duas TVs e três rádios FM da igreja. Há várias versões para a ruptura. Alguns dizem que Valdemiro foi expulso por desviar dinheiro da Universal. Outros dizem que ele discordou de Edir Macedo na nomeação de um bispo. Há quem diga que ele caiu em desgraça porque brigou com autoridades de Moçambique e atrapalhou a expansão da igreja por lá. Sua saída não foi amigável. “Sabe o que o Macedo fez com ele? Deu R$ 50 mil e um Gol velho. Jogou na mesa. Foi assim que o Macedo fez, ó: ‘Se você ficar, vou te dar uma liderança forte, um Audi, tudo. Se sair, leva R$ 50 mil e um Gol velho’”, afirma Didini, que deixou a Universal na mesma época. “Ganhei R$ 100 mil quando saí. O cara (Valdemiro) foi um líder, trabalhou 18 anos lá, deu a vida pela igreja e só levou R$ 50 mil.”

Com Kassab em 2005, citado nos templos como inimigo da Mundial
Parte importante do sucesso da Mundial é resultado da crise da Igreja Universal. Lideranças evangélicas dizem que a Universal começou a enfrentar problemas quando Edir Macedo passou a dedicar a maior parte de sua atenção à TV Record. “Ele deixou de ser igrejeiro, virou empresário e foi morar nos Estados Unidos, longe dos fiéis”, afirma o ex-bispo Marcelo Pires, que atuou na Universal e hoje move processos judiciais contra a igreja. “O seguidor da Universal nem vê mais o Edir pregando. Como não sente o carinho de seu líder, procura outras igrejas.” Há também o desgaste provocado pelas denúncias recentes de lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito contra líderes da Universal.
Desde a criação da Mundial, Edir Macedo nunca manifestou nenhum tipo de temor sobre a concorrente. Dias atrás, ele publicou um post em seu blog em que cita pela primeira vez a Mundial. Edir Macedo reproduziu a carta de uma fiel que teria passado pela igreja de Valdemiro. Ela diz que na Mundial viu sua vida espiritual “caindo a cada dia”. Os parceiros de Valdemiro comemoraram. Para eles, Edir Macedo passou um atestado de preocupação.

Denuncia - Estas imagens são vergonhosas


Acesse e veja, privacidade maior do esta que têm os Bispos da Univesal do Reino de Deus ninguém têm:



http://www.youtube.com/watch?v=PfonEPu9kyE

Para crescer, o Brasil precisa mudar a estratégia de sua economia.


Segundo documento A Indústria e o Brasil - Uma Agenda para Crescer Mais e Melhor, que será divulgado nesta quinta-feira (20) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e será entregue aos presidenciáveis. De acordo com a avaliação da entidade, a atual equação macroeconômica tem um viés que inibe o crescimento da economia, ao punir o setor privado.
Entre os principais problemas estão as altas taxas de juros e a dificuldade de acesso ao crédito. "O Brasil só conseguirá sustentar um forte crescimento se contar com o suporte de uma política industrial ativa, capaz de formar um ambiente propício à inserção competitiva das empresas na economia global, aproveitando todo o extenso potencial de crescimento da produção da indústria brasileira", sustenta o documento.
Para a CNI, os próximos quatro anos serão decisivos para o Brasil. "O País poderá crescer a taxas superiores a 5% ao ano, desde que respeite as lições sobre a importância da estabilidade, priorize a competitividade e avance na modernização das instituições econômicas e políticas. Segundo a CNI, o País tem como desafios na política industrial reduzir o custo Brasil e criar condições para a transformação de sua estrutura industrial.

Direto do http://jesusmaioramor.blogspot.com/


Dizem que um homem pode ser medido pela grandiosidade dos seus sonhos... Se é mesmo assim, um seleto grupo de ministros(??) do evangelho anda sonhando muito, mas, muito alto – literalmente.Desde o ano passado, diversos pastores brasileiros andam cruzando os céus em aviões próprios, um luxo antes somente reservado a altos executivos, atletas milionários e sheiks do petróleo. A justificativa para as aquisições, algumas na faixa das dezenas de milhões de dólares, é quase sempre a mesma: a necessidade de maior autonomia e disponibilidade para realizar a obra de Deus, o que, no caso dos grandes líderes, demanda constantes deslocamentos pelo país e exterior a fim de dar conta de pregações e participações em palestras e eventos de todo tipo. Eles realmente estão voando alto.O empresário e bispo Edir Macedo, dirigente da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) tem feito a ponte aérea Brasil – Estados Unidos a bordo de um confortável Global Express, avaliado no mercado aeronáutico por US$ 50 milhões (cerca de R$ 85 milhões). Para comparar, o preço é semelhante ao do Rafale, o caça-bombardeiro francês que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sonha comprar para as Forças Armadas brasileiras. Equipado com sala de estar, dois banheiros, minibar e lavabo, além de um confortável sofá, o jato permite deslocamentos dos mais confortáveis até os EUA, onde Macedo mantém residência, e tem autonomia suficiente para levá-lo à Europa ou à África. O Global, adquirido em setembro numa troca por um modelo mais antigo, veio juntar-se à frota da Alliance Jet, empresa integrada ao grupo Universal e que já possuía um Falcon 2000 e um Citation X, juntos avaliados em 40 milhões de dólares.Edir Macedo justifica o uso de aviões particulares dizendo que precisa levar a Palavra de Deus pelas nações onde a igreja atua, que já são mais de 120, e também para evitar transtornos aos passageiros dos aviões comerciais, pois sua pessoa costuma atrair muita atenção da mídia. Pode haver também outros motivos. Foi em voos particulares que a Polícia Federal descobriu, em 2005, que deputados e empresários ligados à IURD transportavam dinheiro em espécie, no episódio que ficou conhecido como o caso das malas. Os valores, explicou a igreja na época, teriam sido arrecadados nos cultos e eram transportados dessa maneira por questão de segurança e praticidade até São Paulo e Rio de Janeiro, onde a denominação tem sua administração.Já o missionário R.R.Soares, mais discreto que o cunhado Macedo, não fez alarde da aquisição do turboélice King Air 350, em novembro, fato noticiado pela revista Veja.. Avaliado em cerca de R$ 9 milhões, a aeronave transporta oito passageiros. Como tem uma agenda das mais apertadas, Soares viaja praticamente toda semana pelos mais de mil templos que sua Igreja Internacional da Graça de Deus tem no país, além de realizar cruzadas e gravar programas diários para a TV. Ele realmente tem pensado alto: a igreja também mantém parceria com a empresa de aviação Ocean Air, através da qual um percentual sobre cada passagem comprada por um membro da Graça reverte para a denominação.“Conquista” – O que chama a atenção no aeroclube dos pastores são as justificativas espirituais para a compra das aeronaves. Renê Terra Nova, apóstolo do Ministério Internacional da Restauração em Manaus (AM) e um dos grandes divulgadores do movimento G12 no Brasil, conta que o seu Falcon é fruto de profecias de grandes homens de Deus como o pastor e conferencista americano Mike Murdock. Em abril de 2009, durante um evento em que ambos estavam, Murdock incentivou uma campanha de doações a fim de que Terra Nova pudesse realizar seu “sonho”. Após chamar Terra Nova a frente, ele mesmo anunciou que ofertaria R$ 10 mil reais, atitude logo seguida por dezenas de pessoas. O avião foi comprado em julho. Dizendo-se “constrangido” com a atitude, Terra Nova admitiu que aquele era seu desejo e que se submetia ao que considerava a vontade de Deus. “O Senhor é testemunha que este avião não é para vaidade, mas para estimular que outros ministérios a que também tenham aviões e, juntos, possamos voar para as nações da terra, pregando o evangelho de Jesus. Assim está estabelecido”, diz o líder em seu site.“Conquista” e “resultado da fé” também foram as expressões usadas pelo pastor Samuel Câmara, da Assembleia de Deus de São José dos Campos (SP), para comemorar a compra de seu King Air C90, de quatro lugares. O religioso, que durante anos liderou a Assembleia de Deus em Belém (PA) – onde montou a Rede Boas Novas, conglomerado de rádio e TV que cobre vinte estados brasileiros –, se diz muito grato a Deus pela bênção, avaliada em R$ 8,5 milhões. Ele espera juntar-se a outros líderes para montar “uma esquadrilha de aviões para tocar o mundo todo”. Ano passado, Câmara também esteve no noticiário pelas denúncias que fez contra supostas irregularidades nas eleições para a presidência da Convenção Geral das Assembleias de Deus (CGADB).Mas a aquisição aérea que mais chamou a atenção, dentro e fora do meio evangélico, foi concretizada pelo famoso pastor e apresentador de TV Silas Malafaia, da Assembleia de Deus, no Rio. Possuir uma aeronave própria era um objetivo anunciado pelo líder já há algum tempo, inclusive em seu programa Vitória em Cristo, um dos campeões de audiência na telinha evangélica. Além dos insistentes pedidos por ofertas para manter-se no ar, Malafaia constantemente tocava no assunto avião em suas falas. O empurrão que faltava foi dado pelo pastor americano Morris Cerullo, outro profeta da prosperidade proprietário de um luxuoso Gulstream G4. Num dos programas, levado ao ar em agosto, Cerullo admoestou os telespectadores a desafiar a crise global e participar de uma campanha de doações ao colega brasileiro – um chamado “desafio profético”, no valor de 900 reais, estipulado graças a uma curiosa aritmética que associava a cifra ao ano de 2009.Aparentemente surpreso, Silas Malafaia assentiu com o pedido. Não se sabe quanto foi arrecadado a partir dali, mas o fato é que em dezembro o pastor anunciou que o negócio foi fechado por cerca de US$ 12 milhões, cerca de 19 milhões de reais. Trata-se de um jato executivo modelo Cessna com pouco uso. Um “negócio espetacular”, na descrição do próprio. Bastante combatido pela maneira ostensiva com que pede ofertas para seu ministério, o pastor Malafaia, que dirige também a Editora Central Gospel, recorre à consagrada oratória para se defender: “Quem critica não faz nada. Você conhece alguma coisa que algum crítico construiu? Crítico é um recalcado com o sucesso da obra alheia".Diante todo este espetáculo financeiro que dizem ser em nome de Jesus, o que diremos ou questionaremos?1- Jesus, a Pessoa para quem esses homens dizem estar trabalhando, fez duras criticas ao sistema religioso judaico em Seu ministério, seria portanto Jesus um recalcado?2- Jesus, a Pessoa para quem esses homens dizem estar trabalhando, declarou certa ocasião: “As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça”. Teria, portanto, Jesus um ministério frustrado?A propósito, conheçemos um Crítico que Sua maior construção foi triunfar sobre a morte por amor a todos nós, Ele ainda hoje é um Sucesso!!!

terça-feira, 18 de maio de 2010

PORTUGAL AUTORIZA CASAMENTO GAY


O presidente português, Anibal Cavaco Silva, aprovou nesta segunda-feira (17/05/2010) uma lei autorizando o casamento gay, fazendo de Portugal o sexto país da Europa a aceitar a união de pessoas do mesmo sexo.

Cavaco Silva, um católico praticante de centro-direita, afirmou que colocou suas "convicções pessoais" de lado quando decidiu aprovar a lei.
A lei, adotada em fevereiro pelo Parlamento dominado pela centro-esquerda, remove a referência na Constituição portuguesa de que o casamento é a união de pessoas de sexos diferentes.
Entretanto, a nova lei é explícita quando afirma que casais homossexuais não têm o direito de adotar crianças.
O papa Bento XVI criticou o casamento gay e o aborto como "traiçoeiras e perigosas ameaças ao bem comum", durante sua visita a Portugal na última semana.
Portugal segue Bélgica, Holanda, Espanha, Suécia e Noruega a autorizar casamentos do mesmo sexo.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

A ESCOLHA - BASEADO EM FATOS REIAS

Conta à história que a cada quatro anos em mundo de nome Terra, Yavé permitia que eles fizessem um grande espetáculo, todos os seus países separavam os melhores, era um mundo diferente, onde os pequenos se tornavam gigantes, os feios em belos habilidosos para este confronto espetacular, reunia-se astros em torno da competição.
Moshe me desculpe interrompe-lo, mas como poderia ser isso, eles não se matavam? Como ficava para poder haver outra competição depois de quatro anos? Jovem Jonh, é que alguns saboreavam do elixir da experiência, comiam das derrotas para crescerem em aprendizado e este processo tornava o palco do conflito ainda mais apurado.
Certo, más me responda qual era o objetivo do desafio? Por que lutavam seus guerreiros? Jonh havia tanta coisa envolvida, o principal era:
" fazer a vontade do seu mestre."
Mas antes preciso lhe falar de como eram eleitos os bravos!

Nos olhos serenos de Moshe olhei o prazer de se aquecer para narrar uma das mais belas histórias que dele sempre ouvi, em sua agradável presença sentamos e passamos horas falando e ele disse:
Parecido com este mundo, havia um mestre que escolhia os demais, este por sua vez não era, mas, deveria ser como O Nosso Mestre que escolhe seus guerreiros, mas muitos o imitavam, tendo a sua imagem e semelhança, ainda que destorcida eles tinham experiência, passaram por batalhas cruéis, tiveram inimigos audazes, foram feridos em combates anteriores, em naves viajaram para outros países e conheceram o que é vencer e perder, diferente nisto pois O Nosso Mestre é invicto, também foram traídos, sofreram falsas acusações, muitos tiveram seu rosto cuspido e suas vestes rasgadas.
Prevalecendo eles podiam ver o que era ser um guerreiro, e assim um dia passavam a ser aqueles que escolhiam os lutadores que completava o time. Time? Como assim? Este é o nome dado ao exército que lá eles tinham.
Mas continuando, eles os mestres, que lá se chamavam técnicos às vezes falhavam e não chamavam quem deveria, e os povos da Terra se indignavam principalmente os do país o qual pertencia o guerreiro, que lá se chamava jogador. Em vão, pois assim como O Nosso Mestre, os deles davam um período para que os guerreiros mostrassem o melhor de si, a diferença é que O Nosso é prefeito e o deles não.
A escolha era difícil, pois veja bem havia países como um que me lembro ter nome de, deixe me lembrar, acho que está registrado aqui em um livro, deve estar na divisão F desta prateleira, aqui esta: Fédération Internationale de Football Association te confesso este é um dos que eu mais fico foleando, passo dias fazendo isso, me acompanhe acente-se a beira desta frondosa árvore e veja o que escreveram os escribas deles.Veja me lembrei Brasil este é o nome.
Não tenho muito tempo, me atenho a te falar sobre o principal, o Brasil, veja no ano de 2010 depois do nascimento do Nosso Mestre, eles competiram e foram para um pais de bravos guerreiros chamado Africa do Sul, enfrentaram os melhores, aqui conta que o descobridor do Brasil, tinha seu país muito bem representado depois de 510 anos desta descoberta, mas o Brasil tinha uma população de 192.304.735 habitantes e era uma fábrica de fazer jogadores, e muitos foram chamados, mas poucos escolhidos, amado velho Moshe, isto é uma citação de um texto Santo, eu já li isto, sim , foi o evangelista Mateus no capítulo vinte e dois e versículo quatorze, parabéns Jonh é por isso que aqui estais, é por isso que foi chamado e escolhido, pois praticou a Palavra do Mestre.
Veja um dos que foram chamados, diz este livro que ele era imperador,o seu nome era Adriano e governava quase uma nação, mas não foi escolhido isso me faz lembrar quando todos aqui chegamos a Canaã Celestial, houve muita surpresa, pois guerreiros que não eram para vir chegaram, e bravos foram desmascarados, pois lutavam com armas que não receberam de Canaã Celestial e isso era uma ordem dada por Yeshua Hamashia O Perfeito Guerreiro.
Suspiro ao dizer querido Jonh, assim era preciso: fazer o melhor para ser escolhido, não fosse isso aqui não estaríamos.
Moshe se comprometa em me contar mais sobre esta história? Claro por que não, manso como sempre foi Moshe e se levantou, neste instante soprou o vento balançando serenamente duas fitas de cores verde-amarelo, que estavam amarradas no braço de Moshe.

Continua...

quarta-feira, 12 de maio de 2010

É preciso que a igreja mude, para que os Jovens não se mudem?



No dia 25/06/2008 saiu uma matéria veiculada pela Revista Isto É sob o título “A fé da juventude“, que reuniu alguns estudos feitos no Brasil sobre o perfil religioso de nossos jovens, é mais uma comprovação de que a religiosidade, compreendida como a ligação entre o físico e o metafísico, esta indo de mal a pior. Com uma relatividade sem antecedente onde tudo é valorizado se não proibir o prazer.
Esta pesquisa não aborda a abrangente complexidade dos efeitos colaterais do afastamento dos jovens em muitas igrejas, sem falar do desinteresse destes por práticas que sempre nortearam o compromisso básico dos cristãos, porém, e apesar disso, é possível perceber nitidamente algumas características comuns implícitas ao pensamento global, servindo como alerta ao jovem cristão inserido nesse contexto.
Observe atentamente algumas características do perfil do jovem religioso brasileiro constatado pela pesquisa:
§ O jovem escolhe professar uma determinada religião por iniciativa própria, não por orientação familiar ou costume;
§ Crescimento dos crentes sem religião (ou crentes sem igreja);
§ A fé é mais antropológica do que teologal;
§ A religião é escolhida por uma questão de gosto;
§ Aversão às instituições religiosas formais;
§ Prática ecumênica;
§ Ausência de valores morais;
§ Ausência de compromisso.
É possível a apartir disso ver claramente, que a religião é considerada mais como uma questão de “conveniência do que de Verdade”, os jovens permanecem professando “fidelidade eclesiástica” se isso lhe convir, e há uma aversão as formalidades religiosas, consideradas por estes, métodos ultrapassados de conduta.
Estas análises levaram o pastor, jornalista, chefe de Jornalismo da CPAD e escritor Silas Daniel, a escrever em seu premiado livro pela Associação de Editores Cristãos (Asec) como Melhor Obra de Apologética Cristã no Brasil em 2008 A Sedução das Novas Teologias (CPAD), dizer que esse fato de “demandas” da pós-modernidade, com os seguintes aspectos:
(1) a “necessidade” de relativar os dogmas
(2) a “necessidade” de romper com as instituições
(3) a “necessidade” de desconstruir sistemas
(4) a “necessidade” do prazer como sentido da vida.
Ele continua dizendo que:
“Entorpecidos por essas falsas necessidades que nos são impostas, muitos cristãos no Ocidente estão relativisando sua fé, mudando sua mentalidade em relação à Bíblia, à Igreja e a Deus” e isso, infelizmente, já está acontecendo também no Brasil.
Esses típicos jovens cristãos, cujo número cresce cada vez mais, são os seguidores do que denominamos teologias pós-modernas, que nada mais são do que tentativas de adaptar o evangelho a essas ditas “demandas”, ou seja, aos princípios da pós-modernidade. Outro ponto abordado por Silas Daniel no livro acima mencionado e que ficou evidente nas pesquisas é a aversão de alguns religiosos às instituições formais, não obstante à suas práticas de vivência teológicas ou se preferir dogmáticas, fato esse compreendido pela teologia como “Igreja Emergente”.

Como escreve Silas Igreja Emergente ou Igreja Pós-moderna, como também é chamada, é um movimento nascido no meio evangélico e que procura atrair cristãos influenciados pela pós-modernidade, principalmente aqueles cristãos sem igreja ou que se definem como desiludidos ou insatisfeitos com suas igrejas ou com todas as igrejas. Gente que se diz cansada ou frustrada com a organização e a tradição de suas denominações (o que chamam invariavelmente de “legalismo”, termo que também tem outros sentidos para os emergentes) e com o “sistema” e “jeito de ser” do meio evangélico.
Basicamente, vislumbra-se a tentativa de uma libertação do “homem religioso” para que esse professe sua fé de acordo que aquilo que acha melhor para a sua vida “espiritual”, afastando-se dia-após-dia dos dogmas da religião e do compromisso, elevando a demanda de novos conceitos sobre os jovens na pós-modernidade, acentuando a diversificação das formas ativas da “fé” dos tempos modernos.
Se fosse necessário escreveríamos livros e mais livros sobre técnicas e articulações para o devido condicionamento destes jovens em nossas instituições, ao que não me dou ao trabalho por assim crer que as formas são variáveis, mas o apego a Deus e a Sua palavra são insubstituíveis e de extrema importância em horas como esta.
Por Marcelo Marques

sábado, 8 de maio de 2010

Uma história sobre pássaros


Os pássaros, por muito tempo foram privilegiados de receber afetos dos que diziam ser estes verdadeiramente livres, nos dias de Isaias, Malaquias, Jeremias imaginavam isso.
Salomão em Provérbios 27:8 descreve um pouco sobre esta liberdade, penso, apenas penso que ao se olhar para os céus nos tempos antigos avistando uma ave em seu suave vôo suspirava-se profundamente e em querência, se reportava como que na oportunidade de estar em seu lugar.
A criança perguntava: mãe por que os pássaros voam? a mãe entristecida respondia, é por que são livres.
Um desejo intenso habitante de todos os corações, desassossego das almas, acusação dos atos da apostasia, mente perpetuamente presa e liberdade não se conhecia.
Quando se falava neste sentimento os velhos diziam aos jovens: “Isaias o profeta escreveu coisas sobre esta palavra”, mas era letra, e eu afirmo a letra que mata é à letra que você não vive, e nem o Espírito pode vivificá-lo crápulas que são fariseus, dizem o que deve ser feito, mas não pratica de nada adianta e esta foi sempre a ênfase.
Quando tudo parecia distante de imaginar a liberdade, pois não havia ditos de vozes que pareciam trazer esperança, pois se acredita que isto levou quase 400 anos, nós hoje chamamos isso de período do silêncio, apareceu uma estrela no céu, o que alguns magos chamaram de o nascimento da esperança, e isso traria a liberdade.
Simeão o ancião disse: “Podes deixar teu servo partir em paz, porque meus olhos viram a Salvação”. Lucas 2:2. O velho enfadado soube que naquela hora, nunca mais ninguém iria olhar para o céu e invejar uma ave a voar, os pássaros eram agora imitáveis, melhor, eles eram inferiores.
A história mudou, não era apenas um simples vôo era um alçar que dias após dias te levam para perto de onde nascem todas as pessoas, pra perto Daquele que mostrou para o velho quem era a Salvação.
E hoje somos livres, verdadeiramente livres de toda acusação de todo absurdo, de todo abuso, de todo extremismo, da religiosidade.
Minhas mãos sentem o sopro suave do vento que me afirma a liberdade que Nele eu tenho, meus cabelos estão esvoaçados e os pássaros?

Eles agora me olham como quem quer o que eu tenho!

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Pastors evil character


Pastor é ou deveria pelo menos ser, o ministro “religioso” da Igreja Protestante ou Igreja Evangélica, ou Igreja Evangélica Histórica ou como vocês aqui quiserem adicionar outros “predicados”, para os segmentos que não saõ: Católicos, Espíritas, Testemunhas de Jeová e ai vai.
Dependendo da posição e da denominação, ele pode ser chamado de pastor (na maioria das igrejas), presbítero, missionário, bispo (em Igrejas Luteranas, Anglicanas e Pentecostais), diácono (embora em algumas igrejas essa posição não seja de ministro) e, recentemente, apóstolo. Hoje chamam até quem faz anedota nos blogs, revistas, jornais e etc de Pastores, não sei por que mais tenho uma grande dúvida quanto a isso.
Fica ainda mais sério quando o assunto é Qualidade Ministrerial, pois leva-se em conta vários quisitos como: Tamanho do templo (estas mesmas paredes devem trazer santidade aos crentes que nela estão), carro do Pastor (alguns, penso que imaginan que é este veiculo que os levará para o céu), aparência física do dito pastor ( quanto mais carinha de anjo, melhor).
De acordo com o apóstolo Paulo, uma Igreja Local poderia ser dirigida por uma equipe de pastores (confira: Atos, 20.28; Filipenses 1.1). Mas anguns ainda insistem em dirigir as suas “igrejas” com um bando de argamandel.
Dependendo do ramo da Igreja, a função do pastor é desempenhada pelo presbítero ou bispo. Há situações no Novo Testamento onde esses termos parecem ser sinônimos (ver: Atos 20.17,28; I Timóteo 3.1,5; e Tito 1.5,7). Apesar de muitos colocarem um precipício entre um cargo e outro.
O que deveria fazer todos os pastores?
No geral, é dever do pastor dirigir a Igreja Local e cuidar de suas necessidades espirituais, mas, a coisa anda meio evoluida ou seria retrógada, bem, o fato é que alguns hoje cuidam de tudo menos disso, aqui em Uberlândia a pouco dias teve um que cuidou das mulheres, de todas, e de tudo delas, lastimavelmente.
Em Atos 20.28-31, estão discriminadas algumas atribuições específicas do pastor, tais como: apascentar a Igreja, refutar heresias doutrinárias e exercer vigilância contra pretensos opositores, onde se lê opositores há alguns que insistem em dizer que são quem mexe no Dízimo, sabe como é ? alguns temem perder a tão sagrada “vaquinha de leite”.
A figura do pastor é primordial para que a Igreja alcance seus propósitos, devendo o mesmo ter como modelo o próprio Jesus Cristo, qualificado como "o bom pastor" (João 10.11,14; I Pedro 2.25; 5.2-4).Quase utópico mas seguimos em frente.
Em sua primeira carta universal, o apóstolo Pedro identificou Jesus Cristo como sendo o "Sumo Pastor" da Igreja Cristã (I Pedro 5.5). Este sim viu, meu Cristo o único “pastor que dá a vida pelas ovelhas”.
O ministério pastoral é reconhecido como o mais alto patamar eclesiástico, sendo que cada igreja evangélica ou protestante têm sobre os pastores locais, pastores que lhes ajudam a reger as condições maiores em âmbito regional ou nacional.
Ex: Para cada estado no Brasil, existem igrejas que tem um representante que em cada ano também se reune com os representantes de cada município do estado em que mora ou exerce pastoreio, é a chamada convenção estadual, e um representante nacional que também uma vez por ano reúne-se com o representante de cada estado para a convenção geral.
A palavra pastor está na Bíblia e por vezes se confunde com outras pois esta implicita ou sinônima das palavras bispo ou ancião, pois ambas têm o mesmo efeito sobre a igreja. Hoje os nossos anciãos são desconsiderados o que vale é a palavra do pastor, afinal eles já tiveram a sua oportunidade, mal sabem todos que repeito aos mais velhos é um princípio de sabedoria.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

o que é política?


Você concorda com que esta abaixo escrito ou tem outras opiniões?


O termo política é deriva-se do grego antigo πολιτεία (politeía), que indicava todos os procedimentos relativos à pólis, relativamente aos interesses populacionais, ou Cidade-estado. Por extensão, era fundido na compreensão tanto de Estado quanto sociedade, comunidade, coletividade e outras definições referentes à vida urbana por conseqüência erma as tratativas dos interesses sócio-humanistas. No uso trivial, vulgo e vago e às vezes um tanto pejorativo, política, como substantivo ou adjetivo, compreende as ações, comportamentos, intuitos, manobras, entendimentos e desentendimentos dos homens (os políticos) para conquistar o poder, ou uma parcela dele, ou um lugar nele como:
- eleições
- campanhas eleitorais
- comícios
- lutas de partidos etc.
-E mais recente articulação virtual.
Conceituação erudita, clássica e acadêmica, trata-se da arte de conquistar, manter e exercer o poder, o governo. É a noção dada por Nicolau Maquiavel, em O Príncipe; Política denomina-se a orientação ou a atitude de um governo em relação a certos assuntos e problemas de interesse público: política financeira, política educacional, política social, política do café etc.
Para muitos pensadores, política é a ciência moral normativa do governo da sociedade civil. (Alceu Amoroso Lima – Política, 4º edição, pág. 136).
Outros a definem como conhecimento ou estudo “das relações de regularidade e concordância dos fatos com os motivos que inspiram as lutas em torno do poder do Estado e entre os Estados”. (Eckardt – Fundamentos de la Política, pág. 14).
Atualmente, a maioria dos tratadistas e escritores se divide em duas correntes. Para uns, política é a ciência do Estado. Para outros, é a ciência do poder.

Por Marcelo Marques

O que Serra disse nos Gideões da Ultima Hora

Discurso de Serra aos evangélicos Gideões Missionários da Última Hora, em Camboriú, Santa Catarina, em 1º/05/2010.


"Conforme Jesus ensinou, quando você entra numa casa, numa cidade, deve saudar a todos e a todas com a paz do Senhor.Vou começar fazendo uma citação – de Lucas – que tem muito a ver com essa organização de missionários. No Capítulo 10 Versículo I, Lucas nos diz: “Depois disso, o senhor designou outros 70, e os enviou, de dois em dois, para que o precedessem em cada cidade e lugar onde ele estava falando, e lhes fez a seguinte advertência: ‘A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara’.É interessante lembrar essas palavras de Jesus, porque, no Brasil, o impulso fundamental para esta ação de missionários foi dada em dois: duas pessoas que chegaram da Suécia a Belém do Pará, em 1910. Era o ideal dos missionários Daniel Berg e Gunnar Vingren. Chegaram a Belém em 19 de novembro de 1910. E Santa Catarina fez história no evangelismo nacional, porque em 1923, um deles, missionário Gunnar Vingren, teve informações, lá em Belém, de que em aqui havia o movimento pentecostal em andamento. Foram dois que vieram ao Brasil, como os pregadores de Cristo. Ele veio aqui para o Sul e, ao chegar, encontrou o trabalho iniciado pelo Pastor André Bernardino da Silva, pioneiro da Assembléia de Deus em Santa Catarina. E o que vejo hoje desse congresso, liderado pelo Pastor Cesino, é a preocupação em fazer missionários para a evangelização no Brasil e no mundo. Eu sei que o trabalho é extraordinário não só no campo espiritual; também é no relevante serviço na área social que os Gideões têm prestado.Quando no governo de São Paulo, sancionei o Projeto de Lei aprovado na Assembléia Legislativa, que instituiu o Dia dos Gideões Missionários de Última Hora do Estado de São Paulo. Mais ainda, Pastor Cesino: instituímos também em São Paulo o 2 de setembro como o dia da Expocristã, da literatura do Evangelho, que é vasta no nosso país. Faz parte do calendário oficial do Estado de São Paulo, e eu decidi isso depois de visitar essa feira em 2007, e me dei conta da enorme importância que tem para a leitura do nosso povo a ação dos evangélicos. É por meio da leitura da Bíblia que todos os fiéis se aproximam de uma igreja evangélica.Num tempo em que os governos, as ações, lutam contra a pobreza, a violência, o terrorismo, os problemas sociais em geral, vocês estão aqui trabalhando para um mundo melhor, para que haja paz entre os povos. Que Deus abençoe todos e todas que hoje estão nesse grande congresso. Trabalhando juntos, nós vamos fazer do Brasil uma das principais nações do mundo. Vamos fazer do Brasil um país de todos e de todas.Lembro-me de uma outra citação de Cristo, agora de João, que diz: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir. Eu vim de Jesus para que tenham vida e tenham essa vida em abundância”. O que significa isso? Que não se trata, apenas, de prolongar a vida por meio das nossas ações. Trata-se de ter qualidade de vida. Isso é fundamental. É preciso viver, e é preciso viver bem e cada vez melhor. Essa é uma mensagem de Jesus Cristo. E o trabalho que os missionários fazem está voltado a essa direção: para as crianças, para os idosos, para todas as pessoas, para que não tenham só assistência médica na doença, mas que vivam melhor. Este para mim sempre foi um princípio de vida, na vida privada e na vida pública. Lembro quando fui ministro da Saúde, ou agora como governador de São Paulo: nós combatemos o tabagismo, o cigarro. Por quê? Porque faz mal à saúde. Mas eu dizia: 'Não é apenas para prolongar a vida das pessoas, é para que tenham uma melhor qualidade de vida'. Porque aquele que fuma, quando fica doente por causa disso, fica, às vezes, anos com problemas de saúde, inclusive problemas de paralisia, não pode andar, sofre com doenças do pulmão. Ou seja, vive, mas vive mal. Da mesma maneira, nós fizemos muitas outras coisas nos setores desamparados. É o caso de pessoas com algum tipo de deficiência física. São mais de 20 milhões no nosso país. Pois nós criamos uma rede de reabilitação. Para quê? Para que a pessoa com deficiência possa ser mais cidadão ou mais cidadã. Ela está vivendo, mas, muitas vezes, encostada. Por quê? Porque não consegue se inserir na sociedade. Então nós fizemos um trabalho que nunca foi feito, de auxílio de reabilitação do deficiente, que ele tenha acesso aos equipamentos públicos e aprenda a viver com a deficiência que tem – e que não é capaz de esconder todas as capacidades que ele também carrega consigo.Fiz o mesmo tirando o seguro-desemprego do papel para ajudar os desempregados. Fizemos os medicamentos genéricos, para ter remédios mais baratos e seguros para a população. Enfim, digo que até eu me beneficio, porque estou gripado, e também posso me vacinar gratuitamente, porque temos produção da vacina da gripe no Brasil, que passou a ser de graça para aqueles que têm mais de 60 anos. Aqui, provavelmente, só eu, não é, pastor, é que posso tomar a vacina de graça. Nenhuma mulher, com muita exceção, pode, é provável que só eu a tome... (risos) Mas estas são ações que para mim mostram a essência do que deve ser o trabalho na vida pública, que é servir ao próximo, é buscar a nossa felicidade proporcionando felicidade às outras pessoas.E essa é a essência do trabalho dos Gideões. Daí o nosso encontro, daí a nossa identidade, daí o fato de que eu aqui venho para procurar inspiração e ganhar energia para essa batalha – convencido de que nós vamos fazer mais, de que podemos fazer mais e melhor para essas pessoas que mais precisam. Eu lembro agora que Salomão, no dia em que chegou a rei, narrou um sonho. Conversou com Deus no sonho. E Deus lhe disse: ‘O que você quer? Tudo o que você quiser eu te darei”. Ele disse: “Eu só quero uma coisa: sabedoria’. Sabedoria. E Deus disse: ‘Você não quer riqueza, você não quer prestígio, você não quer matar os seus inimigos, você quer sabedoria, e isso você terá’.E o que eu queria pedir a todos e a todas aqui é que orem, rezem a Deus por mim, no sentido de que ele me dê mais sabedoria para enfrentar a batalha e as lutas que nós temos por diante, voltadas para o progresso do nosso país. Voltadas aos mais necessitados, voltadas à solidariedade. Por isso, eu me permito pedir que orem por mim para que Deus me dê mais sabedoria. Muito obrigado!"

Carlos Teixeira esta certo? Façam seus comentários


Elite e preconceito.
Na verdade a matéria o apontava como o homem mais influente do mundo, posto que nem só políticos fossem alinhados na larga lista composta pelo Time. Esta não é a primeira vez que Lula merece amplo destaque na imprensa mundial. Os jornais Le Monde, de Paris, e o El País, o mais importante meio de comunicação em língua espanhola (e muito atento aos temas latino-americanos) já haviam, na virada de 2009, destacado Lula como o “homem do ano”. O inédito desta feita, com a revista Time, foi fazer uma lista, incluindo aí homens de negócios, cientistas e artistas mundialmente conhecidos. Entre os quais está o brasileiro Luis Inácio da Silva, nascido pobre e humilde em Caetés, no interior de Pernambuco, em 1945, o presidente do Brasil aparece como o mais influente de todas as personalidades globais. Por si só, dado o ponto de partida da trajetória de Lula e as deficiências de formação notórias é um fato que merece toda a atenção. No Brasil a trajetória de Lula tornou-se um símbolo contra toda a forma de exclusão e um cabal desmentido aos preconceitos culturalistas que pouco se esforçam para disfarçar o preconceito social e de classe.É extremamente interessante, inclusive para uma sociologia das elites nacionais, que o brasileiro de maior destaque no mundo hoje seja um mestiço, nordestino, de origens paupérrimas e com grande déficit de educação formal. Para todos os segmentos das elites nacionais, nostálgicas de uma Europa que as rejeita, é como uma bofetada! E assim foi compreendida a lista do Time. Daí a resposta das elites: o silêncio sepulcral!Lula Líder MundialDesde 2007 a imprensa mundial, depois de colocá-lo ao lado de líderes cubanos e nicaraguenhos num pretenso “eixinho do mal”, teve que aceitar a importância da presença de Lula nas relações internacionais e reconhecer a existência de uma personalidade original, complexa e desprovida de complexos neocoloniais. Em 2008 a Newsweek, seguida pela Forbes, admitiam Lula como um personagem de alcance mundial. O conservador Financial Times declarava, em 2009, que Lula, “com charme e habilidade política” era um dos homens que haviam moldado a primeira década do século XXI. Suas ações, em prol da paz, das negociações e dos programas de combate à pobreza eram responsáveis pela melhor atenção dada, globalmente, aos pobres e desprovidos do mundo.Mesmo no momento da invasão do Iraque, em busca das propaladas “armas de destruição em massa”, Lula havia proposto a continuidade das negociações e declarado que a guerra contra a fome era mais importante que sustentar o complexo industrial-militar norte-americano.Em 2010, em meio a uma polêmica bastante desinformada no Brasil – quando alguns meios de comunicação nacionais ridicularizaram as propostas de negociação para a contínua crise no Oriente Médio – o jornal israelense Haaretz – um importante meio de comunicação marcado por sua independência – denominou Lula de “profeta da paz”, destacando sua insistência em buscar soluções negociadas para a paz. Enquanto isso, boa parte da mídia brasileira, fazendo eco à extrema-direita israelense, procurava diminuir o papel do Brasil na nova ordem mundial.Lula, talvez mesmo sem saber, utilizando-se de sua habilidade política e de seu incrível sentido de negociações, repetia, nos mais graves dossiês internacionais, a máxima de Raymond Aron: a paz se negocia com inimigos. As exigências, descabidas e mal camufladas de recusa ás negociações, sempre baseadas em imposições, foram denunciadas pelo presidente brasileiro. Idéias pré-concebidas estabelecendo a necessidade de mudar regimes para se ter a paz ou usar as baionetas para garantir a democracia foram consideradas, como sempre, desculpas para novas guerras. Lula mostrou-se, em várias das mais espinhosas crises internacionais, um negociador permanente. Foi assim na crise do golpe de Estado na Venezuela em 2002 (quando ainda era candidato) e nas demais crises sul-americanas, como na Bolívia, com o Equador e como mediador em crises entre outros países.Lula negociadorO mais surpreendente é que o reconhecimento internacional do presidente brasileiro não traz qualquer orgulho para a elite brasileira. Ao contrário. Lula foi ridicularizado por sua política no Oriente Médio. Enquanto isso o presidente de Israel, Shimon Perez ou o Grande-Rabino daquele país solicitavam o uso do livre trânsito do presidente para intervir junto ao irascível presidente do Irã. Dizia-se aqui que Lula ofendera Israel, enquanto o Haaretz o chamava de “profeta da paz” e a Knesset (o parlamento de Israel) o aplaudia em pé. No mesmo momento o Brasil assinava importantes acordos comerciais com Israel.Ridicularizou-se ao extremo a atuação brasileira em Honduras, sem perceber a terrível porta que se abria com um golpe militar no continente. Lula teve a firmeza e a coragem, contra a opinião pública pessimamente informada, de dizer e que “... a época de se arrancar presidentes de pijama” do palácio do governo e expulsá-los do país pertencia, definitivamente, à noite dos tempos.Honduras teve que arcar com o peso, e os prejuízos, de sustentar uma elite empedernida, que escrevera na constituição, após anos de domínio ditatorial, que as leis, o mundo e a vida não podem ser mudados. Nem mesmo através da expressa vontade do povo! E a elite brasileira preferiu ficar ao lado dos golpistas hondurenhos e aceitar um precedente tenebroso para todo o continente.Brasil, país no mundo!Também se ridicularizou a abertura das relações do Brasil com o conjunto do planeta. Em oito anos abriu-se mais de sessenta novas representações no exterior, tornando o Brasil um país global. Os nostálgicos do “circuito Helena Rubinstein” – relações privilegiadas com Nova York, Londres e Paris – choraram a “proletarização” de nossas relações. Com a crise econômica global – que desmentiu os credos fundamentalistas neoliberais – a expansão do Brasil pelo mundo, os novos acordos comerciais (ao lado de um mercado interno robusto) impediram o Brasil de cair de joelhos. Outros países, atrelados ao eixo norte-atlântico e aqueles que aceitaram uma “pequena Alca”, como o México, debatem-se no fundo de suas infelicidades. Lula foi ridicularizado quando falou em “marolhinha”. Em seguida o ex-poderoso e o ex-centro anti-povos chamado FMI, declarou as medidas do governo Lula como as mais acertadas no conjunto do arsenal anti-crise.Mais uma vez silêncio das elites brasileiras!Lula foi considerado fomentador da preguiça e da miséria ao ampliar, recriar, e expandir ações de redistribuição de renda no país. A miséria encolheu e mais de 91 milhões de brasileiros ascenderam para vivenciar novos patamares de dignidade social... A elite disse que era apoiar o vício da preguiça, ecoando, desta feita sabendo, as ofensas coloniais sobre “nativos” preguiçosos. Era a retro-alimentação do mito da “pereza ibérica”. Uma ajuda de meio salário, temporária, merece por parte da elite um bombardeio constante. A corrupção em larga escala, dez vezes mais cara e improdutiva ao país que o Bolsa Família, e da qual a elite nacional não é estranha, nunca foi alvo de tantos ataques.A ONU acabou escolhendo o Programa Bolsa Família como símbolo mundial do resgate dos desfavorecidos. O ultra-conservador jornal britânico The Economist o considerou um modelo de ação para todos os países tocados pela pobreza e o Le Monde como ação modelar de inclusão social.Mais uma vez a elite nacional manteve-se em silêncio!Em suma, quando a influente revista, sem anúncios do governo brasileiro, Time escolhe Lula como o líder mais influente do mundo, a mídia brasileira “esquece” de noticiar. Nas páginas internas, tão encolhidas como um vira-lata em dia de chuva noticia-se que Lula “... está entre os 25 lideres mais influentes do mundo”. Errado! A lista colocava Lula como “o mais” influente do mundo.Agora se espera o silêncio da elite brasileira!Francisco Carlos Teixeira é professor Titular de História Moderna e Contemporânea da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Deixe de ser próximo e passe a ser filho.


Muitas coisas me intrigam, uma delas é o que eu atiço da Bíblia entender.
O porquê, que não podia Otniel de Calebe bençãos ter.
Porque foi Acsa com Calebe ter?
Não foi tão difícil, para logo perceber.
Como pode Alguém que não é intimo, de Deus algo receber.

Por quê? Simples Otniel era apenas um ente querido
Ele é de Acsa Marido
E na igreja de hoje diferente não é
Muitos dizem estar com Deus
Mas Deus não houve seu alarido

Dizem ser filhos, mas não querem o Evangelho entender!

Quem quer resposta de Deus não pode apenas ter
Vagas experiências sem a Ele compreender
Para Ele não basta vagas lembranças
Isso não traz quando precisamos esperança
É preciso Seu amor viver

Sabendo de suas fragilidades
Ele te ajuda, sem maldade.
Os pensamentos a seu respeito
É de paz
É perfeito

Para te dar vida (poços de água) e alegria
Ele (Deus) apenas aguarda sua procura
Não fique de mãos vazias, saia da sequidão.
Coloque sua vida na luz
Experimente o que de fato é ser filho de Jesus
Não vá pela expectativa dos outros

Tenha no âmago do teu ser a ternura
A doçura
Sem loucura

Se quer saber mais, eu lhe recomendo Livro de Josué 15:13-19

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Arrecadação de alimentos

CAMPANHA DO AGASALHO E DO QUILO

“Onde eu estava que não O vi, onde meu coração se escondeu até o momento em que Lhe conheci”. M. M. C

De maneira ousada devemos nos portar para com Deus, tal com quem esta a porta de avião para saltar e experimenta o que de fato é ser livre, se formos completamente por Ele justificados, temos com Ele também a maravilhosa graça de experimentar-mos o gozo do que é ser “herdeiros e co-herdeiros em Cristo”.
Pensa-se que pelo muito alarde das vozes que se ecoam pelas paredes das celebres catedrais é que haverá a coesão do pensamento. Ao contrário observando a narrativa Bíblica do que ocorre em Ezequiel 47, vemos que há uma implicação nítida de que a espiritualidade e a vontade do Supremo Amor de Deus ocorrem quando evadimos os templos, pois à medida que do templo nos distanciamos e agimos nas palavras que dentro dele ouvimos, vamos mergulhando em um profundo mar de águas, ou pelo menos assim deveria ser ao alvorecer das manhãs de segunda-feira, quando nos dispomos a viver o Reino na prática, pelas ações e pelas conversas.

A eminente inércia que se instalou nos bancos clericais, leva cada dia à estagnação do atuante amor de Deus. É preciso haver mudanças em nosso meio é preciso haver ação, é preciso não dar tanto créditos aos desnecessários grupos que aderiram a posições diferentes de atuação e ver que eles não valem se quer a atenção que deles dispomos antes agirmos em detrimento dos desfavorecidos e marginalizados de nossa cidade e região.

Eu os convido a participarem da Campanha do Agasalho e do Quilo, Entregue suas doações nos locais de arrecadação descritos abaixo e ajude-nos a fazer a diferença no meio dos que mais precisam e aguardam o nosso agir.

-Igreja Metodista Renovada – Em frente ao Mercado Municipal

-Ceifa – Missão e Graça – Rua Real Grandeza, próximo ao Belvedere

-Instituto Bíblico do Triangulo Mineiro aos cuidados do Prof. Marcelo Marques

Ou ainda se preferir nós buscamos onde você puder nos entregar: alimentos não perecíveis, roupas, agasalhos, cobertores e etc. bastam nos comunicar:


www.teologiadaaplicabilidade.blogspot.com
prmarcelomarques@yahoo.com.br
34-3219-2197 ou 34-8855-6892



Esta campanha será continua, pois os que dela precisam são muitos, mas ajude, o quanto antes!

terça-feira, 4 de maio de 2010

A grande importância da Família (Êxodo 2:1-9)

A família é o lugar prioritário para o desenvolvimento físico, moral e intelectual dos seus membros. A família através do seu exercício educativo e que atua na sociedade transferem para seus membros toda uma cultura, conhecimento, valores morais e éticos que terão repercussão na vivência dos jovens na sociedade em que estão inseridos. A psicologia mostra que as relações de carinho é algo importante para se ter saúde mental, assim como as ciências sociais indicam que a presença de adultos confiáveis e o exercício da autoridade são altamente necessários para se assegurar um bom e respeitoso convívio entre as pessoas na sociedade, seja ela qual for.A partir daí pensamos em como andam os filhos de uma geração na qual a fragilidade dos laços é uma verdade, a destruição dos lares por uma realidade má e a falência do papel paterno aponta para uma direção contrária ao que está estabelecido como modelo familiar.Por vezes vemos noticias como a que muito me chamou atenção o caso de uma menina em Goiânia, de 12 anos, que sofreu maus-tratos pela própria mãe adotiva, que a torturava com ferro quente, arrancava suas unhas e cortou sua língua, também a amarrou com arames, obrigando-a comer e beber urina e fezes de cachorro, acorrentando-a pelos pés e mãos.
Esse fato levou-me a refletir sobre o amor materno, esse sentimento está relacionado à necessidade de proteger e conservar a família. Todavia, há pais que cometem atos absurdos para livrar seus filhos da marginalidade e da morte, que em muitos casos, rima amor (excessivo) com dor.Observamos a dependência que nossos filhos têm de nós, pais. O bem-estar deles depende inteiramente dos cuidados que damos a eles. Quando os pais negligenciam suas responsabilidades, eles sentem-se perdidos, fracos, desprotegidos e à mercê das circunstâncias.Em toda a história do povo de Deus, encontramos um Deus patriarcal, e, é Dele que herdamos o nosso referencial de família como Pai amoroso, provedor, protetor. Nós, pais, fomos chamados para pastorear nossos filhos e protegê-los dessa geração corrupta, de seus valores contrários à Lei de Deus. Nossos filhos têm uma alma e sentimentos, que os tornam especiais e diferentes dos outros. Essa alma precisa ser alimentada, seus sentimentos precisam ser regados nos ensinamentos do Senhor. A semente do amor a Deus precisa ser germinada em seus corações, para que floresça e dê frutos.
Que tipo de semente tem sido regado em seu lar?
O livro de Êxodo (cap 2) nos fala de uma mãe chamada Joquebede e de seu filho Moisés. Uma mãe que se preocupou em formar o caráter de seu filho através da fé. Nos dias de hoje, observamos que o caráter dos filhos tem sido forjado através dos interesses materiais e das circunstâncias.Deus deu a Joquebede um Dom Visionário (ver e sentir além do que nossos olhos podem imaginar). Essa mãe conseguia enxergar nesse filho aquilo que ninguém conseguia enxergar. Ela olha e vê além. Nós, pais, temos o costume de só enxergar o exterior de nossos filhos, quando, na realidade, eles têm muitas riquezas a serem exploradas em seu interior.Você já perguntou a Deus qual o Seu propósito na vida de seus filhos? O seu filho é algo especial que o Senhor lhe deu, é algo divino. Ele o colocou em suas mãos, para que você cuide, apascente.Joquebede criou uma atmosfera de fé em sua casa. A mãe pode facilitar, moldar a personalidade e o caráter de seu filho, por estar mais próxima dele. Os filhos de hoje se vêem na marginalidade, tendo uma vivência em lares de incredulidade. Muitos pais já perderam a visão divina sobre os seus filhos, e sem visão não há propósitos. Por causa de Joquebede.A bela História de Joquebede, mudou a história do mundo, eu te chamo a crer comigo todas vocês mulheres, Deus através de você quer mudar o mundo, podemos ser mães amorosas que cuidam dos nossos filhos e que carinho ajudamos nossos esposos a zelar de nossas casas.
Faça deste dia algo especial, para que você não se esqueça!
Repita:
Eu ouvi esta palavra e vou guardá-la no meu coração!




Por Andreia Marques

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Não há nenhuma igreja avivada no mundo


Precisamos entender que muitas coisas interferem em um “pleno avivamento” e que por tais, não há nenhuma igreja avivada atualmente. Veja alguns conceitos básicos sobre o tema:
No Antigo Testamento: O verbo hebraico hyh (avivar) tem o significado primário de "preservar" ou "manter vivo". Porém, "avivar" não significa somente preservar ou manter vivo, mas também purificar, corrigir e livrar do mal. Esta é uma conseqüência natural em toda vez que Deus aviva. Na história de cada avivamento, dentro ou fora da Bíblia, lemos que Deus purifica, livra do mal e do pecado, tira a escória e as coisas que estavam impedindo o progresso da causa.
O verbo "avivar", em suas várias formas, é usado mais de 250 vezes no Antigo Testamento, das quais 55 vezes estão num grau chamado piel. Um verbo nas formas do Piel expressa uma ação ativa intensiva no hebraico. Neste sentido, o avivamento é sempre indicado como uma obra ativa e intensiva de Deus. Alguns exemplos de sua ocorrência são as clássicas orações de Davi, como esta: "Porventura, não tornarás a vivificar-nos, para que em ti se regozije o teu povo?" (Sl 85.6) (4), e da clássica oração do profeta Habacuque: "Tenho ouvido, ó Senhor, as tuas declarações, e me sinto alarmado; aviva a tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos, e, no decurso dos anos, faze-a conhecida; na tua ira, lembra-te da misericórdia" (Hc 3.2).
No Novo Testamento: Encontramos no Novo Testamento grego um conjunto de palavras que expressam o conceito básico de avivamento. São elas: 'egeíro, 'anastáso, 'anázoe e 'anakaínoo. Outras palavras gregas comparam o avivamento ao reacender de uma chama que se apaga aos poucos ('anazopyréo em 2 Tm 1.6) ou uma planta que lança novos brotos e "floresce novamente" ( 'anaphállo em Fp 4.10).
No Novo Testamento grego as palavras supracitadas aparecem no contexto de avivamento, apenas sete vezes, embora a idéia básica de avivamento seja sugerida com mais freqüência. Uma possível explicação para o uso escasso dos termos, em comparação ao Antigo Testamento, é que o Novo cobre apenas uma geração, durante a qual a Igreja Cristã desfrutou, na maior parte do tempo, um grau incomum de vida espiritual.
Não se pode agendar um avivamento: A Igreja em momento algum pode achar que tem condições de promover e nem fazer avivamento. A igreja não é agente de avivamento. A igreja não agenda e nem programa avivamento. A igreja só pode buscar o avivamento e preparar o caminho da sua chegada. A igreja não produz o vento do Espírito, ela só pode esperar que através de suas mudanças comportamentais o vento do Espírito venha.
A soberania de Deus, no entanto, não anula a responsabilidade humana. O avivamento jamais virá se a igreja não preparar o caminho do Senhor. O avivamento jamais acontecerá se a igreja não se humilhar. Sem oração da igreja, as chuvas torrenciais de Deus não descerão. Sem busca não há encontro. Sem obediência a Deus, jamais haverá derramamento do Espírito. Contudo, quem determina o quando e o como do avivamento é Deus. Ele é soberano.
Não basta mudar os dogmas e doutrinas: Engana-se aqueles que querem descartar a teologia e desprezar a doutrina na busca do avivamento. Desprezar a doutrina é dinamitar os alicerces da vida cristã. Desprezar a doutrina é querer levantar um edifício sem lançar o fundamento. Desprezar a doutrina é querer por um corpo de pé e em movimento sem a estrutura óssea.
Não há vida piedosa sem doutrina. A doutrina é à base da ética. A teologia é mãe da ética.
"Assim como o homem crê no seu coração, assim ele é" (Pv 23.7).
Vida sem doutrina gera misticismo e experiencialismo subjetivista. Avivamento sem doutrina é fogo de palha, é movimento emocionalista, é experiencialismo personalista e antropocentrista. Deus tem compromisso com a verdade e a sua Palavra é a verdade e todo avivamento precisa estar fundamentado na Palavra. O avivamento precisa estar norteado pelas Escrituras e não por sonhos e visões. Precisa estar dentro das balizas da Bíblia e não dentro dos muros de revelações subjetivista, muitas vezes feitas na carne.
Avivamento não é mudança na programação – liturgia. Muitos crentes confundem avivamento com forma de culto, com liturgia animada, com coreografia e instrumental aparatoso.
Louvor não é encenação. Não é mimetismo. Não é ritualismo. Não é emocionalismo. Não é apenas seguir formas pré-estabelecidas, como bater palmas, dizer aleluia, amém e levantar as mãos. Louvor não é pululância, gingos e dança. Louvor que apenas levanta as mãos para o alto, mas não as estende para o necessitado não agrada a Deus. A Bíblia ordena levantar mãos santas ao Senhor, num gesto de rendição e entrega (I Tm 2.8). Louvor em que a pessoa apenas saltita e pula, mas não vive em santidade, é ofensa a Deus. Louvor que apenas verbaliza coisas bonitas para Deus, mas não leva Deus a sério na vida é fogo estranho diante do Senhor.
Louvor que não produz mudança de vida, quebrantamento, obediência e não leva as pessoas a confiarem em Deus, não é louvor, é barulho aos ouvidos de Deus. Assim diz o Senhor: “Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias”.
O louvor não é um espaço da liturgia. Louvor é a totalidade da vida. "Bendirei ao Senhor em todo o tempo, o seu louvor estará sempre nos meus lábios" (Sl 34.1).
À luz destas coisas, é preciso dizer que avivamento não é mudança litúrgica, é mudança de vida. Avivamento não é histeria carnal, é choro pelo pecado. Deus não procura adoração. Ele procura adoradores.
Todavia, é preciso dizer que, embora o avivamento não seja mudança de liturgia, todo avivamento mexe com a liturgia. O avivamento desinstala a liturgia ritualista, cerimonialista, formalista, fria e morta e põe em seu lugar uma liturgia viva, alegre, ungida, onde há liberdade do Espírito, sem abandonar a ordem e a decência. Em épocas de avivamento, a liturgia é desingessada e o povo com alegria e liberdade do Espírito adora a Deus, em espírito e em verdade, sem regras rígidas pré-estabelecidas. Cada culto é um acontecimento singular, novo, onde há abertura para o que Deus deseja falar e fazer com o seu povo.


Avivamento não é modismo. Muitos crentes, por desconhecimento, se posicionam contra o avivamento porque acham que ele é a mais nova onda da igreja. Acham que avivamento é uma coqueluche moderna e uma inovação sem nenhum respaldo bíblico e histórico.
Certamente, aqueles que assim pensam não estudam com critério a Bíblia nem a história da igreja. Os pontos culminantes da igreja aconteceram em épocas de avivamento. Desde o Antigo Testamento que esta é uma verdade incontestável. É só olhar para os grandes despertamentos na época de Ezequias, de Josias e de Neemias. É só ver o grande avivamento em Jerusalém, em Samaria, em Antioquia da Síria e em Éfeso. É só ver o que Deus fez na Reforma do Século XVI, na Inglaterra, no século XVIII e em outros grandes avivamentos da história. Certamente, avivamento não é uma onda, não é um modismo. Ele possui firmes lastros históricos. Ele é nossa herança e nosso legado e deve continuar sendo nossa aspiração e nossa busca constante.
O avivamento altera até mesmo as condições sociais:
Basta olhar para a história e vamos notar que da base da sociedade que é a família até o mais auto grau de representatividade de uma nação houve influência quando esta localidade por sua vez esteve avivada.


Baseado no livro acima descrito.

Memória de Jesus Cristo



“E, tomando um pão, tendo dado graças,o partiu e lhes deu, dizendo: Isto é o meu corpo oferecido por vós; fazei isto em memória de mim” Lucas 22:19. RA.


Olho para este texto e reflito sobre o que Cristo queria dizer com “... fazei isto em memória de mim”, segundo o Wikipédia:
“Memória é a capacidade de adquirir (aquisição), armazenar (consolidação) e recuperar (evocar) informações disponíveis, seja internamente, no cérebro (memória biológica), seja externamente, em dispositivos artificiais (memória artificial). A memória focaliza coisas específicas, requer grande quantidade de energia mental e deteriora-se com a idade. É um processo que conecta pedaços de memória e conhecimentos a fim de gerar novas idéias, ajudando a tomar decisões diárias.”
E sobre estas “decisões”, chego a conclusão de que seria nescessário entedermos que o que nos lembramos é o que difere a nossa vida. Se alguém me pergunta-se se eu me lembro de meu pai, eu teria duas respostas: uma que sim e a outra que não, não porque as lembranças que ora tenho dele são vagas, ele faleceu quando eu tinha apenas 6 anos e isso causou em minha mente esquecimentos ao longo do tempo. O que ora lembro, é o que foi formatado pelas informações posteriores que recebi de outras pessoas, relatos bons e também muito ruins construiram a imagem que eu tenho de meu pai, o que quero dizer é que tudo sei é o que os outros soberam acerca dele. Se perguntado se eu o amo claro, como todo filho ama o pai eu o amo, isso é normal, é lógico é fato, más não tive experiência com que eu amo em outras palavras eu amo o que não conheci.
Em comparação com a igreja atual vejo que isso não é diferente, muitos amam o que o também não conheceram. Dias atráz me encotrei com uma senhora na fila de uma agência bancária e ela me disse: Você é evangélico? Sim eu respondi, eu sou também porque minha sobrinha recebeu um milagre de Deus, respondeu a senhora toda sorridente, complacente eu respondi o sorriso, porém a indagação surgil ela conhece a Deus pela experiência de outra pessoa.
A senhora na fila do banco representa tipicamente as pessoas que têm suas memórias arraigadas naquilo que outras pessoas lhe falaram de Jesus Cristo, e se perguntado você ama a Cristo a resposta é enfática e afirmativa eu amo.
As decisões são tomadas por aquilo que outras pessoas comentam acerca Dele no fundo elas imaginam quem é Cristo, mas não o conhecem o Evangelista Lucas dava clara ênfase a importância de lembrar Daquele pelo qual você experimentou e não daquilo que você não sabe o que é.
Quais são as memórias de Jesus, plantadas no terreno da sua mente?
Por Marcelo Marques

VIDEO AMADOR DE JERUSALÉM

Faço das minhas, as palavras dele.

Eu descobri em mim mesmo desejos os quais nada nesta terra podem satisfazer, a única explicação lógica é que eu fui feito para um outro mundo. C. S. Lewis

REFLEXÃO

Levar uma vida cristã significa ter os comportamentos aprovados pelo grupo religioso a que pertencemos?