AULAS DE GÊNESIS ATÉ CANTARES DE SALOMÃO POSTADAS ABAIXO

IV CIENTE AGORA NO CENTRO DE CONVENÇÕES HOTEL PRESIDENTE, INSCREVA-SE: 34-8855-6892

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Tudo sobre os reinos do Norte e do Sul, seus reis e profetas.


INTRODUÇÃO:
Quando Deus escolhe um povo para glorificar seu nome, chama Abraão do meio de um povo idólatra e promete-lhe uma nova terra onde dele, Abraão, pudesse nascer uma nação santa. Abraão não chega a ver essa terra e nenhuma nação, apenas um filho Deus lhe deu.Algumas centenas de anos depois essa nação é fato, porém, de um povo escravo, numa terra estrangeira. O Senhor não esqueceu de sua promessa e tira aquele povo e leva para a tal sonhada terra prometida. Contudo, esses não tardam a esquecer de seu Deus e se entregam à idolatria. Por muitas vezes, Deus busca os seus escolhidos de volta. Até que este povo, a quem Deus chama Israel, rejeita seu governo e pede-lhe um rei.

(Reinos de Saul, Davi, Salomão)


Deus atende seu pedido e unge-lhe Saul rei em Israel, este se desvia dos caminhos do Senhor e é sucedido por um jovem pastor, Davi. Deus tem nele um coração segundo o seu coração, pois buscou andar sempre nos seus conselhos. Por este motivo, Deus promete-lhe nunca faltar sucessor na sua casa, e assim, seu filho Salomão sucede-lhe no trono. Contudo, este esqueceu do seu Deus e buscou outros deuses. Porquanto, veio sobre ele a ira do Senhor que não deixa impune sua idolatria. Porém, lembra-se de Davi e retarda sua ira a sua descendência.
Um único povo, um único rei, um único Deus. Este era o propósito do Senhor, e que, por causa dos pecados do seu rei, o povo ver agora o reino dividido, assim como foi o coração de Salomão.
E o que era antes o Reino de Israel agora é:


Reino do Sul ou Judá: com as tribos de Judá e Benjamim: 931-586 a. C;


Reino do Norte ou Israel: com as tribos de Rubem, Simeão, Dã, Naftali, Gade, Aser, Issacar, Zebulom, Efraim e Manasses: 931- 722 a. C.


Depois de dividido, essa foi a história do povo de Deus e seus respectivos reis:


Reis de Judá:
Roboão
Abias
Asa
Josafá
Jeorão ou Jorão
Acazias
Atália
Joás
Amazias
Uzia ou Azarias
Jotão
Acaz
Ezequias
Manasses
Amom
Josias
Joacaz
Jeoaquim
Joaquim
Zedequias



Reis de Israel:
Jeroboão I
Nadabe
Baasa
Ela
Zinri
Onri e Tibni
Acabe
Acazias
Jorão
Jeú
Jeoacaz
Jeoás
Jeroboão II
Zacarias
Salum
Menaém
Pecaías
Peca
Oséias


REIS DE JUDÁ
1. Roboão: filho do rei Salomão e de Naamã, amonita, sucede seu pai no trono davítico após a morte de seu pai. Com quarenta e um anos de idade sobe ao trono e reina por dezessete anos em Jerusalém. E foi por suas mãos que o reino foi divido, quando por sua impiedade, não acata o pedido do povo de Israel representado por Jeroboão que pediam que o rei retirasse os pesados tributos impostos ao povo por Salomão. Pedido este também feito pelos anciãos e pelo o profeta Aías, que estiveram com seu pai, preferindo antes, ouvir os conselhos dos jovens seus amigos.
Israel rebela-se contra a casa de Davi e o reino é dividido ficando Judá e Benjamim de um lado com Roboão e os Reino do Sul; e as outras dez tribos do outro com Jeroboão e o Reino do norte.
Roboão abandona a lei do Senhor entregando-se a idolatria e leva Israel a fazer o mesmo, é repreendido pelo o Senhor que usa a Sisaque, rei do Egito, para humilhá-lo tomando o tesouro da Casa do Senhor e do rei, conforme diz o Senhor por intermédio do profeta Semaías em 2 Cr12:5-6. E assim, durante seu reinado Israel não teve paz.
Morre Roboão e é sepultado em Jerusalém com seus pais. Sucede-lhe no trono o seu filho Abias.
Seu reinado vai de 931 à 913 a.C
I Reis 11:43; 12:1-24; 14:21-30; II Crônicas 10:1-19; 11:1-12;12:1-16
2. Abias ou Abião: filho de Roboão com Maaca, filha de Absalão, sucede seu pai e reina por três anos.
Assim como Roboão, foi impiedoso, fez o que era mal perante Deus, guerreia contra Jeroboão e, prevalecendo contra esse, torna-se ainda mais poderoso.
Casou-se com quatorze mulheres e teve vinte e dois filhos e dezesseis filhas, um deles é Asa, que o sucede no trono.Como nos tempos de seu pai, Israel tinha a presença dos profetas Aías, Semaís e Ido, mas Abias não os ouviam, preferindo antes seguir os seus próprios conselhos.
Morreu o rei Abias e foi sepultado em Jerusalém com seus pais. Seu filho Asa reina em seu lugar.
Seu reinado vai de 913 à 910 a. C.
I Reis 14:31; 15:1-8; II Crônicas 12:16;13:1-22; 13:14-22; 14:10


3. Asa: filho de Abias, e Maaca, filha de Uriel, reina quarenta e um anos sobre Judá em Jerusalém.


Procurar andar nos caminhos do Senhor e, durante seu reinado, foi exortado pelo profeta Azarias, a seguir os ensinamentos do Senhor. E assim, levou a Israel a voltar-se para o seu Deus acabando com o culto aos ídolos e a toda idolatria. Depôs sua mãe por estar envolvida com a idolatria. Porém não destruído os altares construídos por seu pai. Ainda assim, Asa agradou o Senhor, fazendo-lhe o que era reto. Reuniu em Jerusalém, além das tribos de Judá e Benjamim, as de Efraim, Manasses e Simeão, para oferecerem sacrifícios ao Senhor. E estabeleceu que todos buscassem ao Senhor, Deus de Israel, sob pena de serem mortos.
Apesar da paz que reina em Judá, Zerá, o etíope, levanta-se contra Asa que o vence, pois Deus é com ele.


Decorridos trinta e seis anos do seu reinado, Baasa rei de Israel, sobe contra Judá e edifica a Rama, porém Asa faz aliança com o rei da Síria, Bem-Hadade, que anula sua aliança com Baasa e sai contra Israel fazendo com que Baasa desista de edificar a Rama e volte para Tirza. Com a madeira e as pedras da construção de Rama, Asa edifica Geba e Mispa.
Apesar de bem sucedido, o acordo do Rei Asa com o rei da Síria, foi repreendido por Deus por não confiar nEle, mas no rei da Síria, e indignando-se contra o vidente Hanani, enviado de Deus, lança-o no cárcere, no tronco e ainda oprime alguns do povo.
No ano trinta e nove do seu reinado, Asa fica gravemente doente dos pés e não busca ao Senhor, mas aos médicos. Dois anos depois morre e é sucedido por seu filho Josafá.
Seu reinado vai de 910 à 869 a. C.


I Reis 15:1-24; II Crônicas 14:1-15; 15:1-19; 16:1-14.


4. Josafá: Filho do rei Asa e de Azuba, filha de Sili. Sucedeu seu pai aos trinta e cinco anos e reinou por 25 anos.


Foi fiel a Deus, buscando-O e andando em seus caminhos como andou seu pai. O que fez Deus, ser Josafá bem sucedido em seus feitos. Seu reinado foi de paz, prosperidade e glória. Tirou os altos e os postes-ídolos de Judá; enviou alguns príncipes, levitas e sacerdotes para ensinarem em Judá a Lei do Senhor; constituiu em todas as cidades do país, juízes, levitas, sacerdotes e dos cabeças das famílias de Israel para julgar conforme a Lei de Deus; também em todas as cidades edificou fortalezas, cidades-armazéns; além de muitas outras obras; tinha muita gente de guerra e homens valentes e todos os reinos temiam a Josafá.
Acabe, rei de Israel, faz aliança com Josafá para pelejarem contra Ramote-Gileade, mas Josafá consulta a Deus através do profeta Micaías, que profetiza vitória de Josafá e derrota de Acabe, este se indignando, manda prender o profeta. Deus foi com Josafá e este teve a vitória, porém foi repreendido por Deus, através do profeta Jeú, por sua aliança com Acabe.
Moabe e Amom levantam-se para destruir Judá, porém Josafá clama ao Senhor e tem a vitória sem ao menos guerrear, pois eles mesmos se destruíram no monte Seir, cidade esta invadida e destruída pelos os mesmos moabitas e amonitas. Judá encontra muita riqueza aí e leva para Jerusalém aumentando ainda mais suas riquezas. Depois disto, Judá teve paz, pois todas as nações temiam e não mais incomodaram.
Depois disso , Josafá alia-se ao rei de Israel, Acazias, para fazerem navios e irem até Társis em busca de ouro, porém Deus repreendeu através do profeta Eliézer e destrói os navios.
Morre o rei Josafá e é sepultado em Jerusalém junto aos seus pais. Seu filho Jeorão reina em seu lugar.
Seu reinado vai de 872 à 848 a. C.


I Reis 15:24; 22:1-52; II Crônicas 16:13-14; 17:1-19; 18:1-34; 19:1-11; 20:1-37.


5. Jeorão ou Jorão: Filho do rei Josafá. Sucedeu seu pai aos trinta e dois anos de idade e reinou oito anos sobre Judá.


Foi um rei cruel, mal e idólatra perante o Senhor. Assim que assumiu o trono, matou todos os seus irmãos e a alguns dos príncipes de Israel. Levou Judá a se desviar dos caminhos do Senhor praticando a idolatria. Preferiu antes ouvir os conselhos do rei de Israel Acabe, seu sogro.
Como resposta de Deus, os edomitas se rebelaram e constituíram seu próprio rei. Joarão é avisado pelo profeta Elias do castigo que receberia por suas atrocidades. Não demorou e os filisteus e arábios, sobem a Judá, invadem o palácio do rei, levam tudo o quanto tem, inclusive suas mulheres e filhos que são mortos, escapando apenas o filho mais novo, Acazias.
Depois disso, Jeorão é acometido de grande enfermidade no abdômen. Passado dois anos morreu, sendo sepultado em Jerusalém, porém não com seus pais, e também não deixou saudades. Judá constitui rei a Acazias, filho mais novo de Jeorão.
Seu reinado vai de 848 à 841 a. C.


II Reis 8:16-24; 22:51; II Crônicas 21:1:20


6. Acazias: Filho do rei de Judá, Jeorão, e Atalia, filha de Acabe, rei de Israel. Sucede seu pai com vinte e dois anos e reina apenas por um ano.


Assim como Jeorão, foi mal e idólatra aos olhos do Senhor. Tinha Acazias uma aliança com o rei de Israel Jorão e subiram para pelejar contra Hazael, rei da Síria, sendo Jorão ferido nessa batalha. Por este tempo, o Senhor através do profeta Elias, pronuncia a sentença para Acazias e unge a Jeú para libertar Judá do domínio idólatra de seu Rei. Jeú ao chegar em Jezreel mata Jorão, rei de Israel e Acazias foge mas é perseguido por Jeú que acaba matando-o. E os servos de Acazias o sepultam em Jerusalém junto ao seus pais.
Acazias não deixou sucessor, mas sua mãe Atalia se apodera do trono de Judá.
Reina em 841 a. C.


II Reis 8: 24-26; 9:16-29; II Crônicas 22:1-10.


7. Atalia: Filha de Acabe, rei de Israel e Jezabel, esposa Jeorão, rei de Judá, mãe de Acazias.

Após a morte de seu filho, rouba o trono de Judá e passa a governar por seis anos. Cruel e sanguinária introduz também em Jerusalém o culto a Baal e ainda levou os utensílios da casa do Senhor para serem utilizados nos cultos a Baal. Seu primeiro ato foi matar todos os membros da família real, inclusive seus netos. Porém Joás, filho mais novo de Acazias, escapa com a ajuda de sua tia Jeosaba, esposa do sacerdote Joiada.
Passados seis anos, Joiada apresenta, na casa do Senhor, Jóas como o legítimo rei que é recebido pelo povo com muita alegria. Atalia vai ao templo do Senhor na tentativa de conter a rebelião, mas é retirada e morta à entrada da casa do rei.
Após a morte de Atália, o povo entra na casa de Baal e destrói seus altares e as suas imagens e mata a Matã, sacerdote de Baal.
O sacerdote Joiada entrega a casa do Senhor aos levitas, oferece holocaustos ao Senhor e houve paz na cidade. E assim reinou Joás.
Seu período de regência vai de 841 à 835 a. C.


II Reis 11:1-21; II Crônicas 22:10-12; 23:12-21; 24:7


8. Joás: filho de Acazias e Zibia, de Berseba. Sobe ao trono de Judá aos sete anos de idade e reina por quarenta anos em Jerusalém.


Joás, o rei menino, sobreviveu ,com ajuda de sua tia Jeoseba, à fúria de sua avó Atalia quando tinha apenas um ano. Criado pelo sacerdote Joiada, foi fiel ao Senhor enquanto este vivia; porém depois fez o que era mal aos olhos de Deus e por isso não foi próspero no seu reinado, porquanto foi abandonado por Deus.
No início do seu reinado Joás reparou a Casa do Senhor, e procurou andar nos seus conselhos, porém reinou de forma precipitada, o que levou a se afastar dos propósitos do seu Deus praticando a idolatria. Uma vez que, vindo os príncipes de Judá prostraram-se perante ele que os atendeu em tudo. E deixaram a Casa do Senhor, para servirem às imagens do bosque e aos ídolos; por este ato foi Joás repreendido pelo Senhor com grande ira. Porém enviou profetas entre eles, para os fazer tornar ao Senhor, os quais protestaram contra eles; mas eles não deram ouvidos. E ainda, o Espírito de Deus revestiu a Zacarias, filho do sacerdote Joiada, para levar a mensagem ao Rei de que não prosperaria em seus feitos e que assim como ele abandou o Senhor também Deus o abandonaria. Mas revoltando-se contra o profeta, o apedrejaram no pátio da Casa do Senhor. Assim, o rei Joás não se lembrou do que fizera Joiada, pai de Zacarias.
Deus, então castiga Judá através de Hazael, rei da Síria, quando este tenta conquistar Jerusalém e toma todos os tesouros da Casa do Senhor e da casa do rei, e retirou-se de Jerusalém deixando Joás ferido.
Estando Jóas ferido no seu leito, alguns dos seus servos tramam contra ele e o matam. Jóas é sepultado em Jerusalém, mas não com os seus pais. E seu filho Amazias reinou em seu lugar.
Seu reinado vai de 835 à 796 a. C.

II Reis 11:2; 12:1-21; 13:1; II Crônicas 22:11; 24:1-27.


9. Amazias: Filho de Jóas, rei de Judá e Jeoadã. Sobe ao trono de Judá aos vinte e cinco anos de idade e reina por vinte e nove anos.


Buscou agradar a Deus, porém não com integridade de coração. Pois foi um Rei vingativo, e o seu primeiro ato ao se confirmar no trono foi matar os servos que assassinaram seu pai, poupou no entanto a vida de seus filhos. Depois declara guerra aos edomitas e sai vitorioso do vale do Sal, conquista Sela, a capital dos edomitas.
Amazias realizou cerimônias religiosas em honra aos deuses edomitas e por causa deste ato de idolatria, não obteve sucesso no seu reinado antes foi destruído, segundo lhe falou o Profeta. Foi inteiramente derrotado na batalha de Bete-Semes por Jeoás, rei de Israel, a quem tinha provocado, e por quem foi preso e conduzido às portas de Jerusalém, que caiu sem resistência, é saqueada por Jeoás.
Acaba seu reinado assassinado por seus compatriotas em Laquis, para onde se tinha retirado, fugindo de Jerusalém. Foi sepultado em Jerusalém com os seus pais e seu filho Uzias sucede no trono de Judá.


Seu reinado vai de 796 à 767 a. C.


II Reis 12:21; 14:1-20; II Crônicas 24:27; 25:1-28.


10. Uzias ou Azarias: Filho de Amazias, rei de Judá e Jecolias. Sucedeu seu pai aos dezesseis anos de idade e reinou por 52 anos em Jerusalém.


Buscou andar nos caminhos do Senhor em tudo quanto fez, por isso teve um reinado de muita prosperidade. Foi notável engenheiro e projetava ele mesmo suas armas de guerra, foi também considerado um grande guerreiro, temido por todos e sua fama chegou até o Egito.
Guerreou contra os filisteus, arábios e meunitas vencendo a todos, pois Deus era com Uzias que o buscava através do Profeta Zacarias e Isaías e que trazia uma mensagem de punição e juízo para os pecados de Judá e Israel, e das nações vizinhas. Contudo, Uzias fortificou torres e edificou a cidade de Élate, construiu reservatórios de água, recebeu presentes dos amonita, tinha muito gado e muitos campos férteis e foi considerado amigo da agricultura. Porém os altos não tirou, porque o povo ainda sacrificava e queimava incenso nos altos.
Contudo, nos últimos anos de sua vida, exaltou-se e quis ele mesmo queimar incenso no altar do incenso. O que não lhe era permitido, mas tão somente aos sacerdotes e por isso foi amaldiçoado com lepra até o dia de sua morte. Morrendo o rei Uzias isolado numa casa separada. Porém Jotão, seu filho, tinha o cargo da casa e governava Judá. Morreu uzias e foi sepultado com seus pais. Seu filho Jotão sucedeu-lhe no trono.


Seu reinado vai de 791 à 740 a. C.


II Reis 15: 1-7; II Crônicas 26:1-23.


11. Jotão: Filho de Uzias, rei de Judá e Jerusa, filha de Zadoque. Subiu ao trono aos vinte e cinco anos de idade e reinou em Jerusalém por dezesseis anos.


Regente em Judá nos tempos de seu pai, fez o que era reto ao Senhor, e não ousou contra o seu Deus, antes buscou andar nos seus conselhos através do profeta Isaías que lhe transmitia da parte de Deus, mensagens de punição e juízo para os pecados de Judá e das nações vizinhas, Jotão temeu ao Senhor. Contudo o povo permanecia no mal com sua idolatria. Mas Jotão foi bem sucedido em seus feitos, edificou muitas obras, inclusive cidades na região montanhosa de Judá e nos bosques, castelos e torres. Guerreou contra os amonitas que não quiseram pagar os tributos, que lhes foram impostos por seu pai, ele os obrigou a isso pela força das armas.
Jotão foi homem poderoso e seu reinado foi próspero, mas já no seu fim a paz foi ameaçada pelo rei de Damasco e por Peca.
Morre o rei Jotão e é sepultado com seus pais em Jerusalém. Seu filho Acaz reina em seu lugar.


Seu reinado vai de 750 à 735 a. C.


II Reis 15: 5-7; 32-38; II Crônicas 26:23; 27:1-9


12. Acaz: Filho de Jotão, rei de Judá. Sucedeu seu pai aos vinte anos e reinou em Jerusalém por dezesseis anos.


Seu reinado foi de abominações ao Senhor por quanto andou Acaz nos caminhos de Israel e se entregou à idolatria esquecendo-se do Senhor, seu Deus. Sacrificou, e queimou incenso nos altos e nos outeiros, como também debaixo de todo o arvoredo. Pegou os utensílios da Casa de Deus, e os fez em pedaços, e fechou suas portas, e fez para si altares em todos os cantos de Jerusalém. E até a seu filho Sacrificou no fogo, em holocaustos a seus deuses.
Porém sua maldade não ficou impune, o Senhor levantou-se contra Acaz e os entregou nas mãos do rei da Síria que levou cativo uma grande multidão, também o rei de Israel venceu Acaz, matando muitos homens poderosos de Judá, saqueou e levou cativo os habitantes de Judá como tinha falado o profeta Odede que Judá seria vencido. Porém o Senhor, através do mesmo profeta Obede, não permite que Israel leve cativos até samaria os seus irmãos, Israel ouve a Deus e os liberta com seus pertences. Houve ainda derrota para os filisteus e edomitas que sitiaram muitas cidades de Judá.
Diante de tantas derrotas, o rei Acaz despreza os conselhos do profeta Isaías que alertava da punição e juízo para os pecados de Judá e das nações vizinhas, mesmo assim, pede socorro ao rei da Assíria mandando-lhe presentes retirados da Casa do Senhor e submetendo-se ao seu domínio, aumentando ainda mais sua ruína, e o rei da Assíria não o ajudou.
Acaz desesperado, pede ao sacerdote Urias que edifique altar igual aos vistos em Damasco e oferece, ele mesmo, sacrifícios aos deuses do rei da Assiria, dizendo ele que os mesmos ajudavam o rei da Assíria, assim também o ajudaria. Dessa forma, Judá foi tomada por todas as partes de altos para queimar incenso a outros deuses, aumentando ainda mais a ira de Deus sobre Judá.
Morre o Rei Acaz, é sepultado em Jerusalém, porém não com seus pais. Em seu lugar reina seu filho Ezequias.


Seu reinado vai de 735 à 716 a. C.


II Reis 15:38;16:1-20; II Crônicas 27:9; 28:1-27


13. Ezequias: Filho de Acaz, rei de Judá, e Abi, filha de Zacarias. Subiu ao trono com vinte e cinco anos de idade e reinou em Jerusalém por vinte e nove anos.
Seu reinado foi próspero e em tudo procurou agradar a Deus, e não ouve em Jerusalém rei virtuoso como Ezequias.


Sendo rei zeloso pelas coisas de Deus, assim que subiu ao trono, tratou de desfazer as más obras de seu pai: Destrói os ídolos e templos pagãos construídos por Acaz e restaura a Casa e o Culto ao Senhor, restitui o ministério aos sacerdotes e levitas e convoca todo o reino, inclusive Israel, a celebrar a Páscoa, destrói também a serpente de bronze construída na época de Moisés, pois o povo estava adorando-a. Constrói açudes e aquedutos e muitos outros feitos.
O rei da Assíria, Senaqueribe, levanta-se contra Jerusalém, Ezequias busca a paz por meio de presentes, contudo, Senaqueribe não se dá por satisfeito e, fazendo pouco caso do Deus de Ezequias, desafia confiadamente, porém o Rei Ezequias e o profeta Isaías oram a Deus que lhes dá a vitória sem mesmo haver luta. Depois deste acontecimento, houve paz em Judá e Ezequias recebeu muitos presentes.
Contudo, o rei Ezequias é acometido de uma doença incurável, e tem a sentença de morte decretada por Deus através do profeta Isaías. Mais uma vez, o Rei busca a bondade de Deus, e, em prantos, clama por cura, ao qual Deus concede-lhe mais quinze anos de vida. Esse acontecimento se espalhou pela terra e o filho do rei da Babilônia, Merodaque-Baladã envia a Ezequias um mensageiro com presentes para o Rei. Tomado de orgulho, Ezequias mostra os tesouros da Casa de Deus, assim como os da casa real aos mensageiros da Babilônia. Então o profeta Isaías adverte o Rei que este ato custaria o cativeiro dos judeus pelos babilônios e que nada restaria em Jerusalém, inclusive seus filhos. Contudo houve paz nos dias de seu reinado.
Morre Ezequias e é sepultado com seus pais. Em seu lugar reina seu filho Manasses.
Seu reinado vai de 716 à 687 a. C.

II Reis 16:20; 18:1-37; 19:1-37; 20:1-21; II Crônicas 28:27; 29:1-36; 30:1-27; 31:2-21; 32:1-33; Isaías 38.1-5; 39:1-8.


14. Manasses: Filho de Ezequias, rei de Judá, e Hefzibá. Começou a reinar com doze anos de idade e reinou por cinqüenta e cinco anos em Jerusalém.


Fez tudo que era mal perante o Senhor, desviando-se dos caminhos do Senhor e dos ensinamentos de seu pai, o rei Ezequeias. Foi um rei cruel, e sua maldade chegou ao extremo de derramar muito sangue inocente em Jerusalém. Não deu ouvidos ao profeta Miquéias que não se cansava de repreender o povo pelo pecado e de falar sobre as conseqüências da desobediência.
Mesmo assim, Manasses promoveu a idolatria por todo a terra de Judá, prestando culto aos ídolos de Canaã; reedificando os altos que o seu pai tinha destruído;assim como poste-ídolo; levanta altares a Baal; edifica altares a todo o exército dos céus, nos pátios da casa de Deus; oferece seu filho em holocausto a Moloque; pratica magia, adivinhações e outras superstições; pôs um ídolo na casa de Deus; e finalmente, envolveu o povo em todas as abominações das nações idólatras, a ponto de os israelitas cometerem mais maldades do que os cananeus, a quem o Senhor tinha expulsado de Canaã.


Contudo, Deus o castigou por todos os seus terríveis e abomináveis feitos, pois foi levado cativo pelo rei da Assíria para a Babilônia, onde se humilhou diante de Deus.
Voltando a Jerusalém, estabeleceu de novo o culto ao Senhor, e destruiu todos os altares e lugares de idolatria, mas os altos não foram destruídos. Ordenou que Jerusalém fosse fortificada, e pôs guarnições em todos os lugares fortes de Judá.
Morre Manasses em Jerusalém, porém não foi sepultado com seus pais, mas no jardim da sua casa. E em seu lugar reina seu filho Amom.
Seu reinado vai de 696 à 642 a. C.


II Reis 20:21; 21:1-18; II Crônicas 32:33; 33:1-20.


15. Amom: Filho de Manasses, rei de Judá, e Mesulemete, filha de Haruz. Sucedeu seu pai aos vinte e dois anos de idade e reinou em Jerusalém por dois anos.
Foi um rei mal e impiedoso fazendo tudo o que seu pai fizera, se afastou dos ensinamentos do Senhor e voltou-se à prática da idolatria. Porém não se humilhou perante o Senhor. Seu orgulho e sua idolatria não foram aceitos por alguns de Judá e é Amom assassinado por seus próprios servos em sua casa. Porém o povo pune os assassinos do Rei.
Foi Amom sepultado no jardim de sua casa, em Jerusalém. E em seu lugar, reina seu filho Josias.
Seu reinado vai de 642 à 640 a. C.


II Reis 21:18-26; II Crônicas 33:20-25.


16. Josias: Filho de Amom, rei de Judá, e Jedida, filha de Adaías. Começou a reinar com apenas oito anos de idade em reinou em Jerusalém por trinta e um anos.


Rei piedoso, durante seu governo procurou fazer tudo de acordo com a Lei do Senhor, foi temente e fiel ao seu Deus, por esse motivo seu governo foi de paz. Contudo. A profetisa Hulda, profetisa grandes males para o povo de Judá por causa dos pecados de seus pais.
Josias permaneceu nos conselhos do seu Deus e manda purificar o templo do Senhor e queimar tudo que era usado nos cultos a Baal, destituiu os sacerdotes que sacrificavam aos deuses, e eliminou de Judá todo e qualquer lugar de idolatria; eliminou também os feiticeiros, médiuns e toda abominação com a qual o povo de Judá havia se contaminado; deu ordem para que celebrassem a Páscoa.
Já no fim do seu reinado, o faraó Neco foi lutar contra os medos e babilônios, atravessando o território israelita, Josias saiu contra os egípcios em Megido, apesar de ser alertado pelo faraó a não fazer isso, Josias não atendeu e foi mortalmente ferido por Neco. Foi sepultado em Jerusalém com seus pais. O profeta Jeremias compôs uma bela elegia, a qual durante muito tempo era cantada ou recitada todos os anos. Em seu lugar reinou seu filho Jeoacaz.
Seu reinado vai de 640 à 609 a. C.


II Reis 21:26; 22:1-7; 23:1-30; II Crônicas 33:25; 34:1-33; 35:1-2.


17. Jeoacaz ou Jeocaz: Filho de Josias, rei de Judá, e Hamutal, filha de Jeremias, de Libna. Sucedeu seu pai aos vinte e três anos de idade reinando em lugar de seu irmão mais velho, Jeoaquim, e reinou sobre Judá apenas três meses.


Durante o seu curto reinado, fez tudo o que era mal perante o Senhor e demonstrou sua maldade oprimindo o povo. Porém o Faraó Neco mandou prender a Jeocaz para que não reinasse em Jerusalém; e Israel impôs a pena de cem talentos de prata e um talento de ouro.
Em seu lugar o Faraó-Neco estabeleceu rei a Eliaquim, também filho de Josias, e mudou-lhe o nome para Jeoaquim. Quanto a Joacaz, levou consigo para o Egito, onde permaneceu preso até a sua morte, para se cumprir o Deus falou por intermédio da profetisa Hulda.
Reina em Judá em 609 a. C.


II Reis 23:34; II Crônicas 36:1-4; Ezequiel 19:3.


18. Jeoaquim: Filho de Josias, rei de Judá, e Zebida, filha de Pedaías. Seu nome era Eliaquim, porém o Faraó-Nero mudou para Jeoaquim. Subiu ao trono de Judá com vinte e cinco anos de idade e reinou por onze anos em lugar de seu irmão Jeoacaz que fora levado cativo para o Egito.


Assim como seu irmão, fez tudo o que era mal perante o Senhor. Durante seu reinado o rei Nabucodonosor, rei da Babilônia que havia vencido o Faraó-Neco, sobe contra Judá e por três anos tem o rei Jeoaquim por seu servo, até que este se rebela contra aquele. O Senhor então envia contra Judá os caudeus, siros, moabitas, amonitas para destruí-la por causa dos pecados cometidos pelo rei Manasses.
E assim, depois de um reinado iníquo de onze anos, de grandes perturbações, foi Jeoaquim morto, sendo o seu corpo lançado para fora de Jerusalém, com indignação, como o profeta Jeremias o havia anunciado. E em seu lugar reinou seu filho Joaquim.
Seu reinado vai de 609 à 598 a. C.


II Reis 23:34-36; 24:1-37; II Crônicas 36:4-8; Jeremias 22:18,19; 26:23.


19. Joaquim ou Jeconias: Filho de Jeoaquim ou Eliaquim, rei de Judá, e Neústa, filha de Elnatã. Sucedeu seu pai aos dezoito anos de idade e reinou sobre Jerusalém por apenas três meses e dez dias.


Assim como seu pai, foi um Rei mal perante o Senhor. Porém não ficou impune e durante o seu reinado, e assim como profetizou Jeremias, o rei de Babilônia, Nabucodonosor, o levou cativo, levando também para a Babilônia os utensílios da Casa do Senhor, os príncipes e os homens valorosos, e todos os carpinteiros e ferreiros, deixando em Jerusalém apenas os pobres.
Em seu lugar, o rei da Babilônia fez rei a Matanias, irmão de Jeoaquim e tio de Joaquim, a quem Nabucodonosor muda o nome para Zedequias.
Joaquim esteve preso com todo o rigor pelo espaço de trinta e seis anos; foi só depois deste tempo que Evil-Merodaque, sucedendo a Nabucodonosor, o pôs em liberdade, e o colocou num lugar de superioridade em relação aos outros cativos. E nada mais se sabe dele, não obstante terem sido Daniel e Ezequiel seus companheiros no cativeiro.
Reina em Judá em 598 a. C.


II Reis 24:6-17; I Crônicas 3:16,17; II Crônicas 36:8-10; Jeremias 22:24-30; 29:2.


20. Matanias ou Zedequias: Filho de Josias, rei de Judá, e Hamutal. Sendo tio de Joaquim, rei de Judá, sucedeu seu sobrinho Joaquim aos vinte e um anos de idade e reinou por onze anos sobre Jerusalém.


Este foi o último Rei de Judá e também fez o que era mal perante o Senhor. Sempre que o Senhor mandava um mensageiro a Zedequias, esse zombava, desprezava a Palavra de Deus e prendia os profetas; o povo aumentava mais e mais as transgressões, cometendo todo tipo de abominação. O trono de Judá foi dado a Zedequias por Nabucodonosor, rei da Babilônia, depois que levou preso o rei Joaquim. Na ocasião, Nabucodonosor fez Zedequias jurar fidelidade, e isto também foi um desagrado ao Senhor. Porém, nove anos depois se revoltou contra Nabucodonosor, que, por esse motivo, subiu contra Jerusalém. Jeremias, o profeta, aconselhou Zedequias a que se rendesse, mas ele recusou e a cidade foi tomada. Fugiu Zedequias, mas foi preso na planície de Jericó. Foi levado à presença de Nabucodonosor, que então estava em Ribla da Síria, e ali viu matar os seus filhos, sendo-lhe depois tirados os seus próprios olhos e levado atados com duas cadeias de bronze para a Babilônia.
Depois desse acontecimento, Nabucodonosor mandou queimar a Casa do Senhor e a do Rei, assim como todas as casas de Jerusalém, seus muros foram derrubados, levou cativo para a Babilônia alguns de Judá que tinham ficado na cidade e a outros, pobres, deixou-os como lavradores de vinhas. Nomeou a Gedalias governador sobre eles, e tudo quanto Salomão tinha feito para a Casa do Senhor foi levado para a Babilônia. E assim, Judá esteve em cativeiro babilônico por setenta anos, para se cumprir o que o Senhor falara por meio dos seus profetas, tudo por causa da maldade e infidelidade do povo de Deus.


Seu reinado vai de 597 à 586 a. C.


II Reis 24:17,18; 25:1-22; II Crônicas 36:10-21; Jeremias 12:13; 32:4. REIS DE ISRAEL:


1. Jeroboão I: Filho de Nebate, servo de Salomão, e Zerua. Pertencia a tribo de Efraim.


Após a morte do rei Salomão, Jeroboão que fugira para o Egito temendo ser morto por Salomão, volta para Siquém. Jeroboão reúne Israel e vai a presença do rei Roboão, filho de Salomão, pedir que o rei retire os pesados tributos impostos ao povo por Salomão. Pedido este também feito pelos anciãos e pelo o profeta Aías, que estiveram com Salomão, porém Roboão prefere antes, ouvir os conselhos dos jovens seus amigos. Israel rebela-se contra a casa de Davi e o reino é dividido ficando Judá e Benjamim de um lado com Roboão e os Reino do Sul e as outras dez tribos do outro com Jeroboão e o Reino do norte.
Agora Rei, Jeroboão manda fortificar Siquém, reedifica Penuel, cidade além do Jordão. Porém não segue os conselhos dos profetas do Senhor, antes se desvia dele praticando e levando todo o Israel praticar a idolatria.
Temendo que o povo, ao subir para Jerusalém a fim de adorar ao Deus de Israel e, voltando-se para o Senhor, desejassem a reunificação dos reinos, estabeleceu um culto idólatra em Dã e em Betel fazendo dois bezerros de ouro para Israel adorar. Também edificou templos, e estabeleceu sacerdotes dos mais baixos do povo, que não pertenciam à família de Arão, nem à de Levi e queimou ele mesmo incenso a esses deuses.
Porém, Deus repreende a Jeroboão que, rejeitando as palavras do profeta, manda que o prenda , no mesmo instante o Rei tem a mão ressequida, mas implora para que o profeta ore a Deus que o cura. Contudo, não abandonou a idolatria, antes procurava mais e mais se desviar dos caminhos do Deus de Israel. Mas seus feitos não ficaram impunes e, por meio do profeta Aías, o Senhor dá a sentença da sua ira: Não haverá na casa de Jeroboão descendentes, nem de sua família, e não serão sepultados, e tão somente ao filho de Jeroboão se fará pranto e sepulcro.
Depois de reinar sobre Israel por vinte e dois anos, morre o rei Jeroboão. Em seu lugar reina seu filho Nadabe.
Seu reinado vai de 931 à 898 a. C.


I Reis 11:26; 12:12-33;14:1-20;


2. Nadabe: Filho de Jeroboão, rei de Israel. Reinou sobre Israel por dois anos e fez tudo o que era mal aos olhos de Deus a exemplo de seu pai.


E assim como o Senhor falou por meio do profeta Aías, que eliminaria da casa de Jeroboão todos do sexo masculino, a profecia se cumpriu quando Nadabe cercou Gibetom e foi, o rei de Israel, traído e morto por Baasa, e com ele toda a sua casa, exterminando assim, a casa de Efraim. E Baasa reinou em seu lugar.


Seu reinado foi de 898 à 896 a. C.


I Reis 14:20; 15:25-31.3. Baasa: Filho de Aías, da tribo de Issacar. Sucedeu Nadabe após tê-lo traído e matado toda a sua família. Reinou por vinte e quatro anos sobre Israel.
Foi um rei cruel e muito desagradou a Deus. Mandou exterminar a descendência de Jeroboão, porém andou nos seus caminhos maus não dando ouvidos à Palavra de Deus que recebeu do profeta Jeú. Por esse motivo veio sobre ele a ruína, e seu governo foi cheio de perturbações, esteve em guerra com Judá.


O neto do rei da Síria, Ben-Hadade, tomou diversas cidades ao norte de Israel, obrigando-o, desta maneira, a desistir de fortificar Ramá contra Judá.
Morre o rei Baasa, é sepultado em Tirza. E seu filho Elá o sucede no trono, porém, depois de sua morte seu servo Zinri extermina todos de sua casa como dissera o profeta Jeú.
Seu reinado vai de 896 à 886 a. C.


I Reis 14:10;15:20-34; 16:1-13; II Crônicas 16:4,5.


4. Elá: Filho de Baasa, rei de Israel. Sucede seu pai no trono, mas reina sobre Israel apenas por dois anos.


Assim como fizera seu pai Baasa com a casa de Jeroboão, foi também Elá morto por seu servo Zinri e, com ele toda a sua família extinta de Israel como o profeta Jeú tinha falado a Baasa. Em lugar de Elá, reina o comandante dos carros de Israel, Zinri.


Seu reinado vai de 886 à 885 a. C.


I Reis 16:6-14.


5. Zinri: Comandante de Elá, Rei de Israel. Zinri assassinou o rei e toda a sua casa e tomou o trono de Israel, porém não reinou mais que sete dias, pois o povo de Israel ao saber dos feito de Zinri, proclama o general do exército, Onri como seu rei.
Marchou Onri imediatamente contra a capital Tirza, Zinri refugia-se na parte interior do palácio, pôs-lhe fogo, e morreu ali mesmo. Também não buscou o Senhor assim como Jeroboão. E em seu lugar reinou Onri.


Reinou em 8865 a. C.


I Reis 16:8-20.


6. Onri e Tibni: Onri era General do exército de Israel, foi proclamado rei após sete dias da morte do rei Elá, reinando no lugar de Zinri que havia traído o rei e assassinado-o e usurpado o trono. Reinou doze anos sobre Israel e fez tudo o que era mal aos olhos do Senhor, levando Israel a toda idolatria e não andou nos conselhos do Senhor.
Apesar de aclamado Rei, não teve unanimidade e Tibni, filho de Ginate, é também aclamado como rei por uma parte do povo, havendo guerra civil em Israel, mas esta acaba com a vitória de Onri e Tibni morto.
Onri compra o monte de Samaria que fica em Semer, e ali edifica a cidade de Samaria transferindo a capital do reino para lá, permanecendo portanto apenas seis anos do seu governo em Tirza que era a capital de Israel.
Também o rei Onzi faz alianças com os fenícios, casando seu filho, Acabe com Jezabel, filha de Etbaal, rei de Sídon, deste modo os males provenientes do culto a Baal foram introduzidos no reino de Israel, pelo o que o Senhor fala por intermédio do profeta Miquéias que faria de Israel uma desolação. Além disso, durante o reinado de Onri, permaneceu Betel como capital religiosa do país, continuando ali o culto do bezerro, introduzido por Jeroboão.
O profeta Miquéias, denunciou a política e a religião de Onri.
Morreu Onzi. É sepultado em Samaria e Acabe, seu filho, reinou em seu lugar.


Seu reinado vai de 886 à 874 a. C.


I Reis 16:15-28; 20:34; Miquéias 6:16.


7. Acabe: Filho de Onri, rei de Israel. Sucedeu seu pai no trono e reinou vinte e dois anos sobre Israel.
Fez tudo o que era mal aos olhos de Deus pior ainda que seu pai. Pois se Casa com Jezabel, filha de Etbaal, rei de Tiro, que era adorador do deus Baal.
O reinado de Acabe tem grande participação do profeta Elias, que se opôs fortemente a Jezabel, quando esta introduziu em Israel o culto a Baal e Astarote.
A rainha Jezabel não somente levou o seu marido para a idolatria, mas também o fez viver uma vida de maldades e atrocidades, já que não bastava renegar a Palavra do Senhor, mas também matava seus profetas. A ira do Senhor esteve sobre Israel e durante bom tempo não choveu de maneira que houve grande fome como profetizou Elias. Contudo, Elias orou a Deus que ouviu seu clamor. Por esse tempo Ben-Hadade, rei da Síria, levanta-se contra Israel e por duas vezes Israel sai vitorioso.
Porém a ambição de Acabe não teve limites e, Jezabel, instiga Acabe a cometer um grande crime contra Nabote, tudo porque ele desejava a vinha ao lado do palácio e que pertencia a Nabote que se recusou a vender o terreno, baseando-se na lei de Moisés, segundo a qual a vinha era a "herança de seus pais". Pela sua declaração foi acusado de blasfêmia, sendo ele e seus filhos mortos apedrejados. Elias então diz ao Rei que por causa desse ato viria à destruição sobre sua casa. Porém, Acabe se humilha ao Senhor, que responde através do profeta Elias que retardaria este mal, e não traria nos seus dias mas sobre seus filhos.
Por três anos houve paz em Israel, até que Acabe faz aliança com Josafá para pelejarem contra Ramote-Gileade, mas Josafá consulta a Deus através do profeta Micaías, que profetiza vitória de Josafá e derrota de Acabe, este se indignando, manda prender o profeta. Deus foi com Josafá e este teve a vitória. Acabe que foi à batalha disfarçado para não ser conhecido pelos flecheiros de Ben-Hadade, mesmo assim, foi morto por certo homem que arremessou a flecha à ventura. O seu corpo foi levado para Samaria, para ser sepultado, e na ocasião em que um servo estava lavando o carro, lambeu os cães o seu sangue.
Seu filho Acazias, sucede-lhe no trono. E sua filha, Atália, casa-se com Jeorão, filho de Josafá, rei de Judá.


Seu reinado vai de 874 à 853 a. C.


I Reis 16:28-34;18:1-46; 20:1-43; 21:1-29; 22:37-40; II Reis 2: 9:26; II Crônicas 18:1-34.


8. Acazias: Filho de Acabe, rei de Israel, e Jezabel, filha de Etbaal, rei de Tiro. Reinou sobre Israel por dois anos e fez o que era mal aos olhos de Deus pois seguia os conselhos de sua mãe Jezabel.


Foi adorador de baal e abominável ao Senhor, levando Israel também a idolatrial.
Em seus feitos não obteve êxito. Pois o rei de Moabe rebelou-se contra Israel. Acazias cai da janela do quarto e adoece não se recuperando mais como profetizou Elias. Porque Deus não permitiu já que ele, mais uma vez, desprezou o Senhor e foi consultar a Baal-Zebube, deus de Ecrom, este seu ato culminou na ira do Senhor contra ele, e com ele morre mais dois pelotões de cinqüenta consumidos pelo fogo de sua ira.
E assim morreu o rei Acazias e em seu lugar reinou seu irmão Jeorão.
Seu reinado vai de 853 à 851 a. C.


I Reis 22:52-54; II Reis 1:1-18.


9. Jeorão ou Jorão: Filho de Acabe, rei de Israel, e Jezabel. E irmão do rei Acazias. Subiu ao trono de Israel e reinou por doze anos.


Fez o que era mal aos olhos do Senhor, porém não como seu pai e seu irmão. Pois tirou de Israel a coluna de Baal construída por seu pai.
Durante seu reinado obteve algumas vitórias aliando-se ao o rei de Judá, Josafá, a quem era com ele, o Senhor.
Assumindo o trono, Jeorão levanta-se contra Moabe para reaver os tributos que os moabitas tinham deixado de pagar, quando se rebelaram contra Acazias. Mas não foi sozinho, antes chamou o rei de Judá e o rei de Edom, o Senhor dá a vitória anunciada ao profeta Eliseu. Depois o rei da Síria, Bem-Hadade, faz guerra contra Israel, mas Jeorão é avisado pelo profeta Eliseu das investidas dos sírios que não obtém êxito e desistem.
Contudo, não demora muito e volta a guerrear contra Israel e, dessa vez, sitia Samaria fazendo com que haja grande fome na cidade. Porém o Senhor dispersou os sírios do seu arraial largando tudo o quanto tinha e o povo de samaria pode matar a fome como dissera por meio do profeta Eliseu.
Morto Bem-Hadade e em seu lugar reinando Hazael, Jeorão levanta-se contra Hazael que o fere em Ramá. Enquanto Jeorão se recuperava de seus ferimentos, o Senhor manda que o profeta Eliseu faça Jeú, filho de Josué, filho de Ninsi, e que era servo de Jeorão, rei sobre Israel. Foi Jeú e matou Jeorão, rei de Israel e toda a sua casa e reinou no lugar de Jeorão.

Seu reinado vai de 851 à 839 a. C.


II Reis 3:1-27; 8:16-29; 9.14-25


10. Jeú: Filho de Josafá, filho de Ninsi e capitão da guarda que estava em cerco a Ramote-Gileade. Sucedeu o Rei Jeorão e reinou sobre Israel por vinte e oito anos, foi ele ungido por Eliseu para assumir o trono de Israel como ordenara o Senhor.
Procurou fazer o que era reto aos olhos do Senhor, ainda que não inteiramente. Após assassinar o rei Jeorão e toda a sua casa, eliminou de Israel todos os adoradores de Baal, destruiu seus post-idólos e o culto a Baal, porém deixou os bezerros de ouro que estavam em Betel e em Dã construídos por Jeroboão.
Contudo, Jeú foi um rei que usou de crueldade para com o povo, ainda que, com a finalidade de eliminar a idolatria de Israel.
No fim do seu reinado, Hazael, rei da Síria sobe contra Israel e conquista toda a terra desde o Jordão ao nascente de Gileade, os gaditas, os rubenitas e os manassitas.
Morreu o rei Jeú. É sepultado em Samaria. Seu filho Jeoacaz reinou em seu lugar.
Seu reinado vai de 839 à 811 a. C.


I Reis 12:28,29; 19:16; II Reis 9:1-37;10:1-36.

11. Jeoacaz: Filho de Jeú, rei de Israel. Sucedeu seu pai no trono de Israel e reinou por dezessete anos.


Fez o que era mal aos olhos do Senhor, pois não se apartou da idolatria que Jeroboão I levou Israel a praticar. A ira do Senhor caiu sobre Jeoacaz que viu Israel ser conquistado por Hazael, rei da Síria e também nas mãos do seu sucessor, Bem-Hadade. Porém, Jeoacaz suplica misericórdia ao Senhor que os ouve e liberta das mãos dos seus opressores e puderam voltar para suas casas.
Morreu Jeoacaz, rei de Israel, e foi sepultado em Samaria com seus pais. Em seu lugar, reinou seu filho Jeoás.


Seu reinado foi de 814 à 798 a. C.


II Reis 10:35;13:1-9


12. Jeoás ou Joás: Filho de Jeoacaz, rei de Israel. Sucedeu seu pai e reinou dezesseis anos sobre Israel.
Fez o que era mal aos olhos do Senhor igualmente fizera seu pai. Contudo obtém êxito em alguns dos seus feitos:
Amazias, rei de Judá desafia Jeoás para a luta, este aceita e vence Judá, leva preso Amazias que é conduzido às portas de Jerusalém, as quais caem sem resistência e é saqueada por Jeoás.
Porém, Israel foi oprimida por Hazael, rei da Síria, por muito tempo até que, Jeoás visita o profeta Eliseu que lhe promete alcançar três vitórias na luta com seus inimigos. E assim aconteceu, por três vezes derrotou Hadade, rei da Síria, reconquistando algumas cidades que os sírios tinham tomado.
Morre Jeoás e é sepultado em Samaria juntamente com seus pais. Em seu lugar reina seu seu filho Jeroboão.


Seu reinado vai de 798 à 782 a. C

II Reis 13:9-25;14:8-16; 2 Cr 25:17-24.


13. Jeroboão II: Filho de Jeoás, rei de Israel. Sucedeu seu pai no trono de Israel e reinou por quarenta e um anos.
Fez tudo o que era mal aos olhos de Deus, não observou sua Lei, antes sua vida foi de idolatria como fizera Jeroboão I.
Contudo, foi próspero no seu reinado e seus feitos foram de grande importância, pois foi durante seu reinado que Israel viu a restauração do reino das dez tribos, o qual se levantou da decadência, em que estava, para um grande esplendor. Israel conseguiu se libertar do domínio dos sírios. E de conquista em conquista recuperou todo o domínio de Salomão.
Foi durante o seu reinado que viveram e ensinaram os profetas Amós, Oséias e Jonas.
Morreu Jeroboão II e foi sepultado em Samaria com seus pais. Em seu lugar reinou seu filho Zacarias.


Seu reinado vai de 781 à 753 a. C.


II Reis 14:23-29.


14. Zacarias: Filho de Jeroboão II, rei de Israel. Sucedeu seu pai e reinou apenas seis meses.
Assim como seu pai, fez o que era mal aos olhos de Deus. Seu curto reinado se deve ao fato de ser Zacarias morto por Salum, filho de Jabes e seu servo. E assim termina a dinastia de Jeú, como profetizou Elias que Deus lhe daria o trono de Israel até a quarta geração.
Morre o rei Zacarias e Salum, seu servo, reina em seu lugar.


Reinou em 753 a. C.


II Reis 14:29; 15:8-11.15. Salum: Filho de Jades. Subiu ao trono de Israel após assassinar o rei Zacarias, filho de Jeroboão II. Porém reinou apenas um mês e foi assassinado por Menaém, filho de Gadi. Durante o seu curto reinado, Salum não buscou a Deus, antes continuou nas práticas de Jeroboão I. Morrendo Salum, em seu lugar reinou Menaém, filho de Gadi.
Reinou em 752 a. C


II Reis 15:10-16.


16. Menaém: Filho de Gadi. Subiu ao trono após assassinar o rei Salum, e reinou em Samaria por dez anos.


Fez o que era mal aos olhos do Senhor como fizera Jeroboão I. Foi um rei cruel, e após assassinar o rei Salum, Menaém cometeu muitos atos de terrível crueldade, pois feriu a Tifsa e todos os seus habitantes, e as mulheres grávidas cortou-lhes pelo meio.
Durante seu reinado, o rei da Assíria, Pul, sobe contra ele e sitia as fronteiras de Israel, Menaém, então recolhem de Israel mil talentos de prata e dá a Pul, para unir-se ao rei da Assíria, este se vai deixando Israel em paz.
Morre o rei Menaém e em seu lugar reina seu filho Pecaías.


Seu reinado vai de 752 à 741 a. C.


II Reis 15:17-22.


17. Pecaías: Filho de Menaém, rei de Israel. Sucedeu seu pai no trono e reinou por dois anos em Samaria. Continuou na idolatria de Jeroboão I, e não buscou ao Senhor.
Seu reinado foi breve pois Peca, filho de Remalias, e que era seu capitão no exército, conspirou contra ele e o feriu em Samaria, em sua própria casa, e estavam com Peca Argobe, Arié e cinqüenta homens dos filhos dos gileaditas. Após assassinar o rei, Peca assume o trono de Israel.

Seu reinado vai de 741 à 739 a. C .


II Reis 15:22-26


18. Peca: Filho de Remalias, foi oficial do exército de Israel quando Pecaías era o rei. Subiu ao trono após assassinar o rei Pecaías, e reinou vinte anos em Samaria. Também não se apartou dos pecados que Jeroboão I levou Israel a praticar.


Nos seus feios estão a tentativa de investida contra Judá, porém o Senhor despertou o rei da Assíria que sobe novamente contra Israel e, chegando a Tiglate-Pileser, sitiou também Ijom, Abel-Bete-Maaca, Janoa, Quedes, Hazor, Gileade, Galiléia, e toda a terra de Naftali, e os levou para a Assíria. Com estes acontecimentos, Oséias, filho de Elá, rebelou-se contra o rei Peca e o matou, e passou a reinar em seu lugar.


Seu reinado vai de 739 à 731 a. C.

II Reis 1525-31; Isaías 7:1-9;8:1-7.


19. Oséias: Filho de Elá. Subiu ao trono após assassinar o rei Peca e reinou em Samaria por nove anos.


Fez o que era mal aos olhos do Senhor, porém não tanto como os reis de antes.
Contudo, Israel é tomado pela ira do Senhor. E durante seu reinado o rei da Assíria, Salmaneser, consegue tomar Samaria, que passa a pagar tributos ao rei da Assíria. Como Salmaneser descobre que Oséias está tentando aliar-se com o rei do Egito para tentar libertar Israel do domínio assírio e também já não paga os tributos como antes, o Rei da Assíria decide levar preso Oséias, e levar cativo para Assíria todo o povo, fazendo Israel habitar em Hala e em Habor, junto ao rio Gozã, e nas cidades dos medos.
E assim termina a História dos reis de Israel quando este decide se separar da casa de Davi e andar longe dos caminhos do Senhor. Passando Israel a viver em cativeiro na Babilônia por muito tempo.


Seu reinado vai de 731 à 722 a. C.


II Reis 15:30; 17:1-23.CONCLUSÃO:


A história do povo de Israel começa quando Deus cria o ser humano e dá-lhe o domínio do que estar sobre a terra. Nesse instante nasce um povo de Deus feito a sua imagem e semelhança, não por necessidade mais por amor.


Como um Pai, instrui e cuida com zelo, mas o homem não se dá por satisfeito e se rebela contra o seu Deus. Surge, então, uma humanidade rebelde. Ainda assim, o amor de Deus não se aparta dele que, mais uma vez, age com grande misericórdia e os separa para ser os seus adoradores.
Outra vez prepara, instrui, liberta, cuida, coloca num lugar separado e se faz Rei sobre eles, exigindo tão somente que O adorem de todo coração. Mas uma vez o homem não se dá por satisfeito e rebela-se contra o seu Senhor, ainda assim, Deus não o abandona e satisfaz o desejo de seu povo.

Contudo, Deus é justo e seu povo sofre as conseqüências dos seus atos. Sua rebeldia, sua ingratidão, sua alto-suficiência levam a destruição. E um povo que foi criado pra ser um só, encontra-se agora divididos em dois povos: Judá e Israel; dois reinos: Sul e Norte; e um só sangue: de Abraão. Ainda assim, não se volta para seu Deus, antes se afasta cada vez mais. Mas esse Senhor e Rei não os abandonará e, novamente, leva-os para, de onde um dia, chamou-lhes – da escravidão, para que reconheçam que o Senhor é o único Deus.


Tudo isto aconteceu para que o homem soubesse que nada do que Ele falou pode ser mudado, e sua ira não se retirará de sobre os que se afastam de sua vontade.
Ele separou um povo e disse nunca lhe faltar um sucessor, sua Palavra foi cumprida. Porém, para que nunca faltasse rei no seu trono, envia-nos o Seu próprio Filho para reinar sobre os seus adoradores. Não por sangue como antes, mas pelo sangue deste Rei derramado em obediência a Deus.

BIBLIOGRAFIA:
A BÍBLIA SAGRADA - Revista e Atualizada
NOVO DICIONÁRIO DA BÍBLIA – 4. ed. S. Paulo : Vida Nova, 1981.
SCHULTZ, Samuel J. A História de Israel no Antigo Testamento. 1. ed. S.Paulo: Vida Nova, 2000.

3 comentários:

  1. OSEIAS DE PAULO PAES10 de agosto de 2010 09:55

    O nosso Deus o abençoe e continue te inspirando, para fazer a sua obra.A PAZ DO SENHOR.

    ResponderExcluir
  2. que Deus continue te abençoando ricamente,a cada dia de sua vida.abraços!

    ResponderExcluir
  3. muito bom Deus te abençoe rica e abundantemente

    ResponderExcluir

Seja um crítico, comente aqui sua opnião. Eu responderei assim que possível.

VIDEO AMADOR DE JERUSALÉM

Faço das minhas, as palavras dele.

Eu descobri em mim mesmo desejos os quais nada nesta terra podem satisfazer, a única explicação lógica é que eu fui feito para um outro mundo. C. S. Lewis

REFLEXÃO

Levar uma vida cristã significa ter os comportamentos aprovados pelo grupo religioso a que pertencemos?